E Quando A Pornografia E O Erotismo Se Tornam Enfadonhos?



 Maria Gjieli



Inomináveis Saudações a todos vós, Seres Do Mundo! 


Prometi enfocar livros em minhas postagens neste meu retorno, mas outros assuntos no meio devem ser tratados. Não digo que sigo aqui um roteiro, já que o Símbolo do blog é O Louco Do Tarot, como o texto à direita desta página eternizado comprova. E o assunto desta postagem me cutucou durante dias, dias antes de voltar ao Mundo Virtual. 


Por uma questão de sincera devoção ao elemento crítico em mim atuante, devo aqui analisar algo importante que em mim mudou após quatro meses longe da Internet. Creio que seja um assunto relevante para a grande maioria dos homens e das mulheres que vinte e quatro horas por dia pensam em Sexo. Era uma destas pessoas há algum tempo atrás e parece que, inconscientemente, algo em mim mudou. O que era um quase vício ou vício completo, diminui consideravelmente. Ainda há, claro, rompantes ocasionais; porém, fazer da Sexualidade o baluarte máximo da minha rotina existencial deixou de ser relevante. 


Façamos uma analogia aqui com o consumo de doces. Se comemos todo dia, além de engordarmos, vomitarmos e ficarmos viciados, demonstramos fraqueza emocional ao nos entregarmos a um prazer que nos faz mal. Todo excesso é um grande erro e cada excessivo continuar de erros leva ao caminho infértil da falta de melhores condições de se avaliar a si mesmo ou tudo em redor. É o que ocorre quando damos ênfase demais a algo que sabemos não ter nada de mais profundo a nos oferecer. Fazer sexo ou se masturbar é como comer doces cujos sabores tornam-se bastante comuns com o passar do tempo se consumidos em demasia. Assim ocorre com o consumo desenfreado de Erotismo e Pornografia por muitos neste exato momento e em todas as horas. Chega uma hora em que tudo se torna de uma tremenda monotonia. 


Estranho que um Autor de Poemas e Contos Eróticos como eu esteja aqui fazendo esta análise crítica acerca do tema que mais atrai grande parcela da Humanidade Hiperconectada. Este blog tem grande teor erótico/pornográfico, mantendo claros sempre outros assuntos em pauta, por sinal. Seria hipocrisia não escrever um dia este tipo de texto por sou da crença que todo mundo deveria uma vez na vida realizar uma tremenda auto-crítica de si mesmo. E dentro desta auto-crítica auxiliar outros que passam pelo mesmo. Não sou o único consumidor de Erotismo e Pornografia a encontrar-se surpreso com a inesperada mudança da relação com tais Artes. Você aí, leitora ou leitor, pode estar passando pelo mesmo. 


Ainda adoro mulher e escrever eroticamente. Imagens que expõem corpos sensuais também muito continuam a me agradar. No entanto, assisti desde que voltei a dois vídeos pornô amadores com as senhoras que ilustram esta postagem, Maria Gjieli e Tiffany Days, desde que voltei, nada, ABSOLUTAMENTE NADA, sentindo. Questiono quantos estejam ou já tenham passado por isto,  uma surpreendente mudança nos hábitos consumistas de algo que qualquer Pornhub, Xvideos ou SpankBang da vida disponibiliza para quem quiser assistir. Até algo relativo ao Erotismo me parece agora monótono, repetitivo e desinteressante, como as Modelos/Strippers do Instagram e do Twitter exibindo-se efusivamente todo dia. Não preciso definir o que seja Pornografia ou Erotismo aqui, mas toda diferença e semelhança entre os dois arranham certos limites onde eles esgotam-se. E, para mim e em mim muito deles já esgotou-se. 


Meu objetivo neste texto não é apontar caminhos para a Indústria Pornográfica ou o Erotismo Gráfico de cada dia. Somente pontuo que fantasia demais arruina nosso contato com a realidade. Uma mulher ou um homem fanática(o) por tais coisas acaba tendo dificuldades em relacionamentos reais com mulheres ou homens reais. É algo psicanaliticamente comprovado e eu corroboro porque não sei lidar com mulheres reais. Isto pode mudar, como tudo muda, dentro de alguns meses ou anos. Tudo isso depende do continuar estando desapegado de sonhos eróticos/pornográficos irrealizáveis fora da Escrita, no meu caso. 


No seu caso, leitora ou leitor passando pelo mesmo, mudanças dependerão do quanto você possa ser capaz de analisar sua própria situação. Este assunto e esta postagem deixo em aberto, não sou senhor de todas as respostas neste Universo. 


Saudações Inomináveis a todos vós, Seres Do Mundo! 




Tiffany Days 






Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.