Ogum E O Poder Da Verdadeira Guerra

Ogum Matinata - Oradia Porciúncula



Inomináveis Saudações a todos vós, Seres Do Mundo! 


Ogum, Orixá Do Fogo, Vibração Cósmica ligada à Ação, ao Ímpeto, à Vitória, à busca de uma Glória que nada tem a ver com o que nós, Seres Humanos, reconhecemos como Recompensa Existencial. Porque uma Força Cósmica como Ele, induzindo as Chamas Internas daqueles que O Cultuam com a Eterna Chama Que Ele É está além da humana compreensão. Respeito bastante a Umbanda e o Candomblé, Religiões onde O Mais Guerreiro é cultivado e cultuado; o Orixá, a Vibração, a Energia, são os mesmos, somente mudando a maneira do Culto e das Visões conforme cada terreiro. Respeito também o Sincretismo Religioso que o conecta ao Santo Católico mais popular do Brasil, São Jorge, comemorado neste 23 de abril anualmente, pois é algo que a Espiritualidade Maior implantou há séculos neste país, possuindo, então o teor e o calor do Sagrado. No entanto, crítico sou dos que confundem este com o Profano


Por que festas e bebedeiras em homenagem a uma Força Cósmica, a qual não se Alimenta do que materialmente muitos de seus devotos fazem no dia de hoje? Por que tanta preocupação em satisfazer os sentidos relacionando-os a Ele? Por que essa necessidade, que considero bárbara e arcaica, de festejar com certa desordem um Ser Elevado? Não estou falando aqui das festividades de terreiro, que se conectam ao Sagrado em profundidade, devotadas a cada Orixá, eventos que a Pandemia de Covid-19 está proibindo por completo por causa das aglomerações de pessoas. Estou me reportando ao que todo ano, até mesmo clandestinamente no dia de hoje, os que estão fora do Círculo Mágicko do Sagrado praticam com euforia, de modo perturbado, inconsequente e irresponsável, vindo a festejar apenas a Carne, não ao Espírito


Sempre me perguntei, observando as grandes festas profanas em honra a Ogum/São Jorge, se os realizadores das mesmas e seus participantes fizeram uma oração sincera ao Ser que cultivam antes de comerem e se embebedarem. O mesmo rito de comilança e bebedeira desenfreadas observo em todo último dia de ano, sem que essas pessoas tenham, no mínimo, qualquer pensamento devotado sinceramente ao Sagrado. Os que assim agem preenchem-se materialmente, apenas isto, não fazendo muita diferença para o Orixá ou o Santo, conforme o tipo de comemoração definida pelos organizadores dessas profanas reuniões, o que eles fazem com um pedaço de carne na boca ou um copo de álcool nas mãos. Toda festa humana, não-tocada pelo Sagrado, é apenas uma invenção de gente humana que em nada modifica o curso de suas vidas. Celebrar profanamente um Grande Ser Cósmico é perder tempo esvaziando-se espiritualmente. 


Ogum, como todo e qualquer Orixá, conhecido ou ainda desconhecido para a parcela umbandista e candomblecista, se encontra dentro de uma Esfera que totalmente nunca será humanamente compreendida. Todo Ritual Sagrado é, no entanto, uma maneira de alcançar as Vestes Menores Dele, nunca as Vestes Maiores, que o nível de 99% dos que o tem como Orixá Ancestral ou de Frente em uma Encarnação ainda não é propício para exercer o Direito de Tocá-Las. Todo Ritual Profano, reafirmo, é vazio, inútil em propósitos, infecundo em realidade e impróprio em sua própria natureza, o que os 100% de dedicados a cada um deles nunca verá. A Essência Fátua de Ogum, sua maneira de Vibrar quando corretamente Evocada e Invocada, vindo através de um Falangeiro, um Caboclo, um Preto-Velho, uma Criança, um Exu, uma Pombagira, um Malandro ou as outras diversas Entidades que compõem as Falanges que representam o Poder Dele, confere aos sinceros e autênticos devotos a força necessária para Portar os Aspectos Menores das Qualidades do mesmo. 


Estas Qualidades estão dentro do que eu desenvolvo como a minha particular visão sobre Ogum, assim como faço com todos os Orixás. São as Qualidades que conectam a um Estado de firmeza em relação ao guerrear por maiores e melhores caminhos com as próprias pernas e mãos. Ogum mesmo não abre sozinho os Caminhos, necessário se faz que os adeptos e crentes em Seu Poder sujem as mãos e os pés com o pó das Estradas que eles devem percorrer. Somente se esforçando, correndo à frente para alcançar tudo e pontuando o trajeto percorrido a cada campo de batalha é que cada porta fechada é dignamente aberta. Guerreiras e Guerreiros, Verdadeiros Em Ogum, não aguardam que as vitórias caiam do firmamento, privilégios lhes favoreçam ou a vaidade lhes faça sentir-se como melhores do que os outros por serem capazes de melhor captarem o Fogo Dele. Verdadeiras Guerreiras, Verdadeiros Guerreiros, do Grande Ogum, revestem-se com Armaduras, brandem as Espadas, fortalecem os Escudos e atingem seus sonhos e objetivos diretamente, sem rodeios ou corrupções, sem falcatruas ou violências, sem mau-caratismo ou arrogância. 


Ação sem Razão leva sempre ao caminho mais propenso para todo tipo de queda e de erro. Nos presídios, estão trancafiados mulheres e homens que em suas trajetórias foram apenas Ação, nenhuma Razão. A Verdadeira Guerra é vencida por quem une a Força dos Ataques Diretos e do Raciocínio Elevado como Irmãs a cada batalha. A Verdadeira Guerra é vencida por quem passa a paulatinamente Compreender que cada centímetro percorrido de uma Estrada deve ser tocado pelo bom senso, não pela ignorância, preconceito, grosseria ou estupidez. A Verdadeira Guerra é vencida por todos que alcançam o Verdadeiro Sentido Dela: é um Eterno Conflito pela Verdadeira Vida. Todos possuem Ogum, como ocorre com cada Orixá em um Ser Humano, a Vibrar em suas Existências, em diferentes Graus, Formas, Expressões e Situações, possuindo em si as sementes que movem os que melhor expressam na Terra, dentro da Matéria e do Espírito, O Ser Que Ele É. Verdadeiramente Guerrear todos nós podemos, semelhantes a incansáveis soldados das Legiões que jamais se entregam aos Obscuros Seres que espreitam a Humana Realidade, eternamente combatendo-os. 


E tais Obscuros Servos Das Sendas Inferiores, Adeptos de Caminhos voltados para o Mal, a Destruição e a Perdição, somente assumem o controle de uma vida humana se a senhora ou o senhor desta permitir. Vencedor De Demandas Ogum É se, obviamente, aquela ou aquele que clama pela ajuda Dele se interessar em aprimorar seu íntimo, facultando melhores ações externas, isentas de ignóbeis vícios e comportamentos. Não adianta de nada clamar a Ele por ajuda se, como dito acima acerca do esforço pessoal, a Evocadora/Invocadora ou o Evocador/Invocador da Presença Dele continuar a se portar como canalha, criminoso ou desprovido de uma Verdadeira Fé. A Verdadeira Guerra inclui a abordagem do desenvolvimento da Fé mais pura na Evocação e na Invocação de Ogum, o que igualmente vem à valer para os que se dedicam aos demais Orixás ou Seres Elevados de outros Panteões. Somente se alcança plena vitória se o coração é purificado, não com o objetivo de hipocritamente santificar-se e, sim, com o de ser o construtor do próprio melhoramento existencial impulsionado pela Cósmica Chama Do Primeiro Guerreiro


É um Fogo que, sentido uma vez, permanece inesquecivelmente conosco. Seja você, leitora e leitor, Filha(o) de Ogum ou não, crente Nele ou alguém que procura conhecer melhor os Orixás, sempre se aproxime Dele com o coração todo preenchido pela mais pura e poderosa Guerreira Fé. Verdadeiras Guerreiras, Verdadeiros Guerreiros, assim o fazem. Tenham a meta de ser como eles e que o Pai Ogum lhes abençoe. 


OGUNHÊ!!! 


OGUNHÊ!!! 


OGUNHÊ!!! 


OGUNHÊ!!! 


OGUNHÊ!!! 


OGUNHÊ!!! 


OGUNHÊ!!! 


OGUNHÊ!!! 


OGUNHÊ!!!


Saudações Inomináveis a todos vós, Seres Do Mundo!




Ogum - Oradia Porciúncula





Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.