Crônicas Da Cinzenta Cidade - Vigésima Terceira Crônica

Foto de Taryn Elliott no Pexels



O ocaso de uma época de crise. O ocaso de uma época cheia de caos. Sem limites para os fins. Sem parada para um fim. Sem possibilidade de um início. É o fim da História. 


O ocaso se uma Civilização estraçalhada. O ocaso de uma Sociedade fracassada O ocaso de uma População fragmentada. Não há vacinas para evitar a tragédia. Não há tratamento para recompor a atmosfera. Não há remédio suficiente para a Raça Humana. É o fim da História. 


O ocaso que vem gritando por todo lado. O ocaso que vem gemendo acima. O ocaso que vem sussurrando abaixo. Todo o tempo já acabou. Todo o tempo já foi embora. Todo o tempo já se afugentou. É o fim da História. 


O ocaso de tragédias que compõem o filme de nossa decadência. O ocaso de fins que realizam o livro de nossa destruição. O ocaso de desvalorizações que decompõem a música de nossa descensão. Rumores de melhorias extintos. Clamores por mudanças fugitivos. Labores por revoluções reprimidos. É o fim da História. 


O ocaso dos pântanos dos humanos fatos é podridão vasta. O ocaso do esgoto das humanas desgraças é detrito bastardo. O ocaso da latrina das humanas loucuras é requisito aplicado. Sem orações que exploram joelhos ensanguentados. Sem explicações que completam os roteiros desgastados. Sem ligações recebidas que despertam esperanças fantasmas. É o fim da História.


A História do rico. A História do pobre. A História das nações. A História das etnias. A História das pequenas obras. A História das grandes obras. A História das guerras. A História dos tempos de paz. A História do egoísmo. A História do altruísmo. A História do atraso. A História do progresso. A História da ordem. A História da desordem. A História do início de tudo. A História do meio de tudo. A História do fim de tudo. A História do mundo. A História do Bem. A História do Mal. A História da Mentira. A História da Verdade. A História da Raça Humana.


Cinzas são tudo que sempre sobra ao fim de uma Era. 


Inominável Ser

CINZENTO 

CRONISTA 

INOMINÁVEL 





Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.