Cada Amanhecer De Cada Ser

Foto por Matheus Brognoli


As humanas inocências compõem a forma como cada Ser se porta diante das passagens do Tempo. Ainda crianças dentro de toda a História, amanhecemos sempre como sóis a iluminarem cada passo dado em nossas respectivas estradas. Crianças de toda idade no meio de um sendeiro de possibilidades e impossibilidades. 

O teu amanhecer é diferente do meu amanhecer. O meu amanhecer é diferente do amanhecer de outro Ser. O teu amanhecer é diferente dos de todos que se encontram dispersos neste mundo que é constituido mais de aflições e dores do que de alegrias e festas. O que há para festejar? O que há para dar alegria, aqui a um Ser? 

Quem festeja, ainda assim, amanhece para si mesmo como alguém que não conhece de verdade a humana realidade. Quem está sempre alegre não percehe que sua alegria é uma discordância no meio de um mundo de desgraças e tragédias. Aprender a notar o que é o mundo, em sua verdade mais dura, é papel primordial de todos que amanhecem por si mesmos. 

Porque as internas manhãs de cada um na Terra não trazem apenas esperanças, luzes e glórias. Elas trazem também o horizonte nublado das incertezas, o sentimento de perdição em meio à velocidade do mundo contemporâneo e a insanidade do viver sempre no controle de si mesmo no cotidiano social. São internas manhãs chuvosas. São internas manhãs tempestuosas.

Porém, isto não quer dizer que é proibido amanhecer com esperança infinda na mente, na alma e no corpo. A mente pode amanhecer como um dia de Verão, mas ciente das tormentas tempestuosas de cada segundo. A alma pode amanhecer como o dia mais feliz de um habitante terrestre, mas ciente dos cataclismas contidos em cada segundo. O corpo pode amanhecer como a mais bela praia ensolarada sorridente para seus visitantes, mas ciente das quebradas peças do jogo de xadrez da humana gente. Humanas Tormentas. Humanos Cataclismas. Humanos Quebrados. 

O Sol Interno de cada um brilha de modo diferente. O meu Sol é diferente do teu Sol. O teu Sol é diferente do Sol de cada um no atual momento histórico. Sol que amanhece, dentro de nós, cheio de promessas que podem ser compridas. Sol que amanhece, dentro de nós, espelhando cada desejo nosso por uma melhor vida. E conseguimos fazê-lo brilhar como nós queremos? E conseguimos fazê-lo nos aquecer como nós imploramos? E conseguimos fazê-lo nos beijar como nós ordenamos? 

Um Sol dentro de uma interna manhã pode morrer. Morrer e trazer apenas escuridão. Morrer e deixar apenas desolação. Morrer e deixar apenas deslocamento. Muitos amanhecem na escuridão. Muitos amanhecem desolados. Muitos amanhecem deslocados. 

Eu amanheço assim. 

Como você amanhece? 

Inominável Ser
NA ESCURIDÃO 
DESOLADO
DESLOCADO




Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.