Esta Hora Diz Tudo



Tess VIII - Fabian Perez


Há muito a dizer tendo algum limite quebrado ou por quebrar dentro da barreira da linguagem. Olhe só para mim: quase quarenta anos, uma bagagem de mais erros e crises do que acertos e risos verdadeiramente sinceros. Olhe só onde agora me encontro: em um convento azul e branco cheio de hipócritas que cheiram o rabo de um Deus Pai inexistente e escroto. Olhe só para o que estou mais uma vez fazendo: escrevendo para mais uma mulher de névoa, de sonho, um fantasma que fica comigo como todas as mulheres com as quais já sonhei.

Assim, creio, é bem melhor do que a inverdade dos lábios de qualquer uma, seja da rua ou do lar, do bar ou da praia, do puteiro ou da igreja. Melhor conversar com uma fantasia, inofensiva e mutável à vontade criativa do meu escrever automático, do que me foder crendo em funkeiras, ciganas e dançarinas do ventre. São quatro décadas de desencantos e ilusões, queridinha fantasmagórica, e finalmente aprendi uma lição que esta hora já determina o meu existir.

O que me importa hoje se minha cama é fria? Sempre foi e nunca dei importância, para falar a verdade. O que me importa se outros homens têm sorte no amor? Nunca me vi mesmo como capaz de amar, diferente da maioria que segue a idéia mais tola de todas: a de que amam sem nenhum interesse. O que me importa se outros homens têm um ou dez ou vinte filhos? Crianças nunca me interessaram, não interessam, nunca vão interessar. O que me importa se outros homens estão abraçados ou fodendo mulheres por todo este mundo neste exato momento? Pouco a pouco, vou compreendendo que nada disso tem importância para mim.

É assim que penso, sou e vejo as coisas perto dos quarenta, minha fantasminha linda. Não é a tal "crise dos quarenta" e nem o fato de ser solitário que me leva a falar contigo agora nesta madrugada. Isto não é um desabafo, não é um testemunho, é um assombro de sinceridade que poucos ou quase ninguém nesta porra de Internet, no geral, tem a coragem de possuir e demonstrar. Internet é um antro de hipocrisia e caos disfarçado de ordem e amabilidade entre os navegantes virtuais. Seja um Perfil Pink no Facebook ou um Perfil Dark no Black Book, na superfície da rede ou na Deep Web, o que se encontra por aqui é apenas existencial palidez, glamour vazio e desejo de aparecer como um pavão prostituindo-se para o mundo todo. Século vinte e um, fantasminha, século vinte e um...

Mas, esta Hora da Humanidade diz tudo e é por isso que prefiro conversar com belas fantasminhas como você. Pois, para mim, as melhores companhias são as invisíveis, eu nunca na verdade estou sozinho. Te aguardo em meu aniversário aos 03 de agosto de 2016, a porra dos meus quarenta anos! Até lá e depois disso, continue sendo mais uma das minhas Amadas Noturnas Inomináveis ou, melhor dizendo, Fantásticas Noturnas Damas Que Nunca Beijarei.

Se bem que, nunca fui de verdade beijado...

Inominável Ser 
MUITÍSSIMO 
BEM
SINCERO




0 Loucas Pedras Lançadas: