Dos Desejos Que Se Cumprem


Elke The Stallion

Mais uma noite cujo fulgor e furor me atormentam, resgatando sonhos e pesadelos vividos na cinzenta cidade congelada onde estou morto. Mais uma noite admirando as luzes das casas em redor da minha, parado no terraço e meditando sobre o que perdi, perco e perderei. Isso não é uma sensação apenas minha, mas de muitos que estão no frio mais implacável a atormentá-los, recheados de bons e maus desejos sendo n’alma vociferados. Mas, porra, com minhas mãos consigo realizar todos os meus desejos…

Movo minha cabeça dolorida, olho para a televisão ligada, ouço a geladeira ligada e escrevo este testemunho recheado de muita coisa que pode ser contida na palavra fracasso. Com quarenta anos, de certa forma me arrastando e sendo arrasado por forças maiores que me sufocam, minha carne começa a protestar pela falta de satisfações que aplaquem a fome que sinto. Você aí, de qualquer idade, um dia também vai sentir o protesto de sua carne; ou já sente tal protesto que desencadeia revoluções que sempre terminam em cada vez mais frustrações e fracassos? Essa porra fode tudo, do pensamento a atos, de movimentos a fatos, deteriorando em nosso redor a tudo que tocamos e tocaremos. Mas, meus desejos digo de novo que consigo com as minhas mãos realizar, estou quase satisfeito, estou totalmente perdido.

Carne, noite, meditações… É tudo a mesma merda! O que dizem sobre saber esperar? Esperar a “pessoa certa”? Esperar “o surgimento do grande amor de sua vida”? Esperar um “milagre salvador”? Esperar o quê, homem? Esperar o quê, mulher? Isso tudo vale tanto para homens quanto para mulheres, fantasias herdadas por aqueles que antes de nós acreditaram em mentiras socialmente alimentadas. Nossos ancestrais erraram e nós erramos, procriando e gerando outros fracassados que crêem nas mentiras que gostamos bastante de contar para nós mesmos com extrema veneração. Mas, minhas mãos me fazem esquecer isso todo dia e toda noite, no cumprimento da realização dos meus desejos.

Minhas mãos, na amiga punheta, me fazem o favor de consumir e continuar a fazer crescer meus desejos. Minha carne protestando, minha fome crescendo, minha sede me matando… E a punheta vem nestes últimos dias me salvando. Egoísta, sim, declaro ser um egoísta fadado a silenciosamente me satisfazer através da punheta! Por que? Porque a última “princesa encantada” com a qual sonhei me serviu apenas para que eu abrisse os olhos para algumas verdades que cada iludido da Terra sempre há de saber. Não me cabe aqui falar dessas verdades, nem sei se sou alguém de verdade ou uma fantasia escrita por alguma Suicide Girl de outra realidade… O que quero narrar é o que a punheta me dá!

Na punheta, eu tenho a Elke The Stallion!

(Aquele rabo dela é de matar!)

Na punheta, eu tenho a Jenna Shea!

(Aquele rabo dela é de delirar!)

Na punheta, eu tenho a Sabella Monize!

(Aquele rabo dela é religião!)

Na punheta, eu tenho a Monifa Jansen!

(Aquele rabo dela é magia!)

Na punheta, eu tenho a Vany Vicious!

(Aquele rabo dela é remédio!)

Na punheta, eu tenho a Strella Kat!

(Aquele rabo dela é tesouro encontrado!)

Na punheta, eu tenho a Darlene Amaro!

(Aquele rabo dela é mãe!)

Na punheta, eu tenho a Jada Gemz!

(Aquele rabo dela é furacão!)

Na punheta, eu tenho a Cherokee D’ass!

(Aquele rabo dela é inominável!)

Na punheta!

(Todo rabo!)

Na punheta!

(Qualquer rabo!)

Na punheta!

(Muitos rabos!)

NA PUNHETA!!!

(RABOS!!!)

As mãos nunca cansam, os braços nunca doem e minha vontade nunca se satisfaz por completo… O ladrão do R. R. Soares já fala as merdas habituais dele aqui na televisão; o motor da geladeira continua alto; e a noite segue me estrangulando, impiedosa e zombeteira. Meus caros, minhas caras, esta é a mais sincera crônica de um homem atormentado por seus desejos! Não tenham isto como mimimi e nem como fraqueza; podem rir ou me ignorar a partir de agora, mas eu não posso negar a minha natureza. Adoro mulheres… Adoro desejar cada uma delas… Adoro minhas mãos… Punheta por mais quarenta anos, até o meu gozo final dentro do cu da Morte!

Punheta é Verdade.

Punheta é Caminho.

Punheta é Vida.

Punheta é Salvação.


quarta-feira
28 de junho de 2017
21:42 h


Inominável Ser
UM PUNHETEIRO
PROFISSIONAL
DE PROTESTANTE
CARNE




0 Loucas Pedras Lançadas: