A Eterna Dança Dos Deuses Hindus


Kali - George Redreev




AHAM KALI

Destruindo,
Decapitando,
Transformando,
Eu Chego!

AHAM KALI

Pulverizando,
Desintegrando,
Reagindo,
Eu Afirmo!

AHAM KALI

Sangue Para Mim,
Sangue Em Mim,
Sangue A Mim,
Eu Produzo!

AHAM KALI

Morte Ao Obscuro,
Morte Ao Escuro,
Morte Ao Demoníaco,
Eu Continuo!

AHAM KALI

Montanhas Aos Meus Pés,
Montanhas De Ossos,
Montanhas De Escravos,
Eu Deternino!

AHAM KALI

Destroço Correntes,
Desmorono Prisões,
Aborto Lentidões,
Eu Guerreio!

AHAM KALI

Não Amamento,
Não Consolo,
Não Acaricio,
EU DEGOLO,
EU ESQUARTEJO,
EU DECAPITO,
EU MUTILO,
EU MATO
OS INIMIGOS
DA CÓSMICA
DANÇA
EVOLUTIVA!!!

AHAM KALI

EU,
KALI,
SOU A SENHORA
DOS OSSOS
E DOS MORTOS!!!

AHAM KALI

EU,
KALI,
SOU A NEGRA,
IMPERATRIZ DE SANGUE
E DE MORTE!!!

AHAM KALI

EU,
KALI,
SOU A DEVORADORA
DE PECADOS
E DESGRAÇADOS!!!

AHAM KALI

EU,
KALI,
SOU A ATORMENTADORA
DE DESREGRADOS
E MISERÁVEIS!!!

AHAM KALI

EU,
KALI,
SOU A REPULSORA
DE REPROVADOS
E MALDITOS!!!

AHAM KALI

EU,
KALI,
ASSIM SOU,
SOBRE O CADÁVER
DO MEU CONSORTE!!!

AHAM KALI

EU,
KALI,
SOBRE SHIVA
DANÇO A DANÇA
DO SANGUE E DA MORTE!!!

AHAM KALI

EU,
KALI,
A NEGRA,
ASSIM ESTOU ETERNA
A DANÇAR
A DANÇAR
A DANÇAR!!!

AHAM KALI

AHAM KALI

AHAM KALI

AHAM KALI

AHAM KALI

AHAM KALI

AHAM KALI

AHAM KALI

AHAM KALI

AHAM KALI

AHAM KALI

AHAM KALI

AHAM KALI

AHAM KALI

AHAM KALI

AHAM KALI

AHAM KALI

AHAM KALI

AHAM KALI

AHAM KALI

AHAM KALI

AHAM KALI

AHAM KALI

AHAM KALI

AHAM KALI

AHAM KALI

AHAM KALI

AHAM KALI

AHAM KALI

AHAM KALI

AHAM KALI

AHAM KALI

AHAM KALI

Inominável Ser
KALI
REVELADA


Inomináveis Saudações a todos vós, leitores virtuais!

O Hinduísmo é multimilenar e nem considero uma religião organizada como as mais estupidamente famosas do Ocidente atualmente. Para mim, é um profundíssimo tomo de um Grande Livro Ocultista, Místico e Filosófico que torna em cinzas as infantilidades das demais crenças do mundo inteiro, conhecidas e desconhecidas. Infelizmente, o mundo ocidental e parte do oriental foi infectado por um pseudosalvador do mundo com suas palavras enfraquecedoras da Vontade e do Espírito Guerreiro (no sentido da Guerra Pela Liberdade, Iluminação e Conhecimento, A Luciferiana Trindade) de muitos seres humanos. Não há apenas Um Caminho, Uma Verdade e Uma Vida; esta afirmação é extremamente nítida no Hinduísmo. O Cristianismo, acima de qualquer outra religião moldada para gerar ovelhas cegas obedientes aos seus ridículos preceitos deformantes da Verdadeira Espiritualidade, levou o mundo a todo este caos atual, a esta Desgraça Contemporânea na qual nos encontramos dançando como um bando de fodidos sem direção para um caminho de melhorias. O Cristianismo aniquilou Tradições Antigas em nome de uma Grande Mentira (a de um "Deus Único") e inutilizou toda a natureza humana daqueles que seguem suas fezes enaltecedoras da escravidão da mente, do corpo e da alma com suas listas de pecados e restrições. Não digo que o mundo seria melhor se o Hinduísmo fosse a multiplicidade de crenças principais de toda a Humanidade, até porque os seres humanos é que são os culpados pelas deturpações das Verdadeiras Palavras de Entidades e Deuses. Mas, seria tudo um pouco menos opressivo e sufocante... Basta olhar para qualquer representação de Kali, como a de George Redreev ilustrando este artigo, para perceber que o Maior Mistério Sagrado Humano foi desviado de seu curso natural por causa do Cordeiro Imolado: o do Verdadeiro Desapego Ao Perecível E Impermanente. As Entidades e os Deuses Hindus não estão crucificados e nem se arvoram ou são vistos pelos seus seguidores visíveis e invisíveis como "salvadores". São Todos Dançarinos Deste E Do Outro Lado... São Todos Dançarinos Jamais Imolados… E Suas Danças São Sempre Destruidoras E Transmutadoras…

As Entidades da Umbanda, da Quimbanda e do Candomblé, apesar das diversas interpretações e desvios efetuados de seus princípios primordiais em pontos capitais, também Sabem Dançar. Não o fazem por serem frívolos ou designados em suas manifestações para uma identificação com os encarnados, no entanto. A Dança é uma Ode Eterna ao Manifestado, ao que advém do Um e se declama Múltiplo na Grande Diversidade Cósmica, A Primeva Linguagem Dos Deuses. No Hinduísmo a principal característica da Senda Maior promulgada por suas Altas Personalidades aderia ao sentido do Dançar como um método de levar a Verdadeira Compreensão de si mesmos no coração e na alma daqueles que buscam A Verdade. Quando falo de Dança, não me refiro apenas aos movimentos dos corpos físicos, mas a uma atuação no Mental e no Astral daqueles que entram em contato com aquelas Personalidades. Krishna, em seu diálogo com Arjuna no Campo de Batalha de Kuruksetra, trabalhou seus ensinamentos muito além do traje dos lábios formando palavras de profundíssima natureza. No pensamento e na alma de Arjuna, cada palavra de Krishna assumiu novas naturezas e sentidos que levaram aquele indeciso combatente a tomar parte na Batalha. Uma Dança Em Verbo. Uma Dança Em Carne. Uma Dança Em Espírito.

Que Deus ou Deusa não sabe Dançar? Por que um Deus ou uma Deusa não podem Dançar? Muitas das idéias que fazemos dos Deuses e das Deusas são desprovidas de Reais Imagens acerca do que Eles São. Geralmente, como temos a capacidade de a tudo determinarmos conforme nosso horizontal limite humano, posicionamos cada um deles na mesma esfera onde transitamos como organizadores de cada aspecto do que veneramos. E sempre temos a infelicidade de classificarmos tais Altos Seres sob a ótica limitadamente atrofiante nossa, um erro de alta natureza. O que diferencia os Deuses Hindus dos Deuses de outros Panteões é a capacidade dos mesmos em serem apresentados tais como quase incompreensíveis para a grande maioria da Humanidade. Chinamasta, a Deusa que arranca a própria cabeça, representando o assassinato do Ego naquele que se move para tal propósito, é um claro exemplo. Kali, anteriormente citada, assassina de Demônios e Dançando sobre o cadáver de Shiva, representando o Domínio que o Iniciado deve exercer diante dos Baixos Espíritos e do aspecto animalizante de sua essência material, é o mais claro exemplo entre todos os exemplos. Estas duas Deusas, Aspectos da Grande Mãe Universal, Arquétipos do Feminino em sua Vastidão mais Libertadora, são determinadas pelos ignorantes como “meros demônios enganadores da mente humana”. Sim, para O Ignorante Deusas como Chinamasta e Kali são Seres Devoradores de imensa mensagem aterrorizante e tétrica. Para O Esclarecido, Elas são Seres Divinos que Dançam em seu coração como Potências Ativadoras de sua própria Eterna Dança. Assim Dançam Verdadeiros Deuses. Assim Dançam Deuses Em Verdade. Assim Dança A Verdade.

Brahma, O Originador. Vishnu, O Conservador. Shiva, O Transformador. A Trindade considerada como A Mais Sagrada dentro do Hinduísmo é bem diferente do conceito do Três no ápice das religiões que incorporaram ou adaptaram Seus Conceitos. Brahma, Doador Da Vida, sempre em uma Atitude de Voltar A Si Mesmo e Sair De Si Mesmo. Vishnu, Conservador De Todas As Coisas Moldadas, Sustentando a Matéria através das Vozes e Atos Seus personificadas em seus Avatares. Shiva, Destruidor Das Formas, Reformador Dos Conteúdos, Reconstrutor De Mundos, Recriando tudo após a Cessação de um Ciclo dentro da Roda Cósmica. Brahma não é “O Pai”, nem Vishnu é “O Filho” e, muito menos, Shiva é “O Espírito Santo”; estando a infinitas Camadas de tais infantis conceituações operadas pelos seres humanos envenenados pela Ignorância, são interpretados de modos diversos por seus adeptos. O nascimento de seitas a partir de cada visão admitindo a Mutabilidade aderente a toda e qualquer interpretação desta Trindade abre Portas que unem as manifestações de diversas Fontes da Única Verdade. Em envolvimento pleno com Altos Sentidos, O Esclarecimento estabelece uma exata conexão com aqueles conteúdos que apenas a Voz Interna é capaz de reproduzir naquele que se entrega à sua crença sem tolice, afobação ou fanatismo. Dançar sem esbarrar violentamente nos outros na Grande Pista De Dança Da Criação é aprender Passos que equivalem ao Ritmo da Eterna Música Dos Verdadeiros Deuses. Deuses Que Dançam Ao Som Do Infinito. Deuses Que Dançam Ao Som Do Absoluto. Deuses Que Dançam Ao Som Do Vazio.

Candra, O Deus Da Lua. Indra, O Deus Da Chuva. Vivasvan, O Deus Do Sol. Laksmi, A Deusa Da Fortuna. Todos os Deuses Hindus, em Suas Formas, Forças E Fôrmas, enfim, Dançam Suas Infinitas Músicas Diante Dos Espelhos Das Realidades. Dançam quebrando as couraças envolventes dos corpos de seus adeptos na aniquiladora sentença das ilusões de Maya. Dançam realizando os círculos onde no interior O Sacrifício perante a renúncia a uma vida na cegueira pode ser o caminho para a liberdade. Dançam oferecendo Estradas No Deserto aos Verdadeiros Buscadores, que não fazem distinções entre os Seres Moldados Pelo Sopro Do Incomensurável. Dançam agindo nas fronteiras que desencadeiam a extinção das correntes da Ignorância na alma daquele que quer se tornar Esclarecido. Dançam mantendo O Equilíbrio Da Balança Cósmica sem nenhum resquício de cinza repetitiva que leve ao ostracismo. Dançam revelando o que há atrás de cada um dos Véus Dos Mistérios. Dançam agitando substâncias que se tornam O Centro Encontrável daqueles que sonham com O Estado Inalterável. Dançam Nada Vacilantes. Dançam Nada Cansados. Dançam Nada Estagnados. Dançam Girando. Dançam Sorrindo. Dançam Gargalhando. Dançam Vibrantes. Dançam No Antigo. Dançam No Atual. Dançam No Que Virá A Ser. Dançam Ternamente. Dançam Extremamente. Dançam Eternamente. E Dançam. E Dançam. E Dançam.

OM

OM

OM

OM

OM

OM

OM

OM

OM

OM

OM

OM

OM

OM

OM

OM

OM

OM

OM

OM

OM

OM

Saudações Inomináveis a todos vós, leitores virtuais!



Shiva Meditation - Vrindavan Das



Shiva Resplandece
No Meio Dos Universos,
Transportando,
Transitando,
Transformando
O Panorama
E O Padrão
Dos Moldados
E Automanifestados
Tecidos Arquitetônicos.

Shiva Resplandece
No Expandir Dos Universos,
Atraindo,
Contraindo,
Explodindo,
Implodindo,
Constituindo O Repositório
De Forças Construtoras
Do Pulsar
Dos Universais Corações
Do Grande Verso.

Shiva Resplandece
Na Melodia Dos Universos,
Regendo,
Modulando,
Acompanhando,
Traduzindo,
Em Um Senso
De Alto Ritmo
No Palco Dos Sentidos
Das Vestimentas
Harmonias
Do Cósmico Eu.

Shiva Resplandece
No Ser Universal,
Conduzindo,
Reduzindo,
Impulsionando,
Variando,
No Infinito Gesto
Das Mãos
Que Guiam
A Ordem
E O Kaos
Naa Fronteiras
E Além Das Fronteiras
Do Cósmico Verbo.

Shiva Resplandece
No Giro Universal,
Quebrando,
Curando,
Ferindo,
Ativando,
As Cadeias Ressoantes
Nas Eternas Forças
Regendo As
Únicas Formas
Dos Cósmicos
Fundamentos.

Shiva Resplandece
Na Fonte Universal,
Ondulando,
Nadando,
Submergindo,
Emergindo,
Variável
E Imutável
Nas Ondas
Do Grande Mar
Erguido Pela
Eternidade
No Cósmico
Silêncio.

Shiva Resplandece
No Universo
Dos Seres,
Conspirando,
Conquistando,
Atraindo,
Purificando,
Simples Como
O Cair Da Serenidade
Da Chuva Farta,
Complexo Como
A Variabilidade
Das Eternas Mudanças
Das Cósmicas Danças.

Shiva Resplandece
Shiva Resplandece
Shiva Resplandece
Shiva Resplandece
Shiva Resplandece
Shiva Resplandece
Shiva Resplandece
Shiva Resplandece
Shiva Resplandece
Fazendo Com Que
O Universo
Dos Seres
Conjuntamente Entoe
No Cósmico Plano:

OM
SHIVA

OM
SHIVA

OM
SHIVA

OM
SHIVA

OM
SHIVA

OM
SHIVA

OM
SHIVA

OM
SHIVA

OM
SHIVA

Inominável Ser
VENDO
O RESPLANDECER
DE SHIVA




0 Loucas Pedras Lançadas: