Berserk - Volume 11



Roteiro e Arte: Kentaro Miura
Tradução: Drik Sada
Letras: Gabriela Yuki Kato
Edição: Beth Kodama
Editora: Panini Brasil Ltda
Data de lançamento: Abril de 2016
244 pags.

Sinopse:


Após Guts deixar o Bando do Falcão, Griffith provocou a ira do Rei de Midland e acabou preso e torturado. O Bando do Falcão foi atacado pelo exército de Midland e, um ano depois, apesar de praticamente dissolvido, continuava a fugir sob a liderança de Caska. Atraído por rumores preocupantes, Guts apareceu e liquidou os soldados que tentavam aniquilar seus companheiros. Ele e Caska revelaram seus segredos um para o outro e aprofundaram sua relação. O Bando resgatou Griffith, derrotou os assassinos Bakiraka e, dessa vez, o rei convocou os Cães Negros, liderados por Wyald!



Inomináveis Saudações a todos vós, leitores virtuais!


“Diversão e Emoção”


Se a respiração já foi difícil no volume anterior de Berserk, neste a tensão e a feroz velocidade dos acontecimentos deixam a leitura com um aspecto de sinistro impacto a cada página. Considero este o mais épico dos volumes por ser uma marcha de ultraviolência, batalhas e situações ambientadas em reviravoltas tão inesperadas que cada vez mais prepara o concreto terror que caíra ainda sobre o Bando do Falcão. Cão Demoníaco (Partes 1 a 4), Uivo da Fera Enlouquecida, A Floresta do Massacre, Luta Mortal (Partes 1 e 2), Armadura no Peito, O Visitante Que Voa e O Retorno do Imortal são capítulos alucinantes que prendem muito mais do que a atenção do leitor durante o desenrolar dos acontecimentos que se sucedem com extrema força.


“Diversão e Emoção”


Wyald, um dos Apóstolos dos God Hand, é, até então, o mais cruel dos antagonistas do mangá. Liderando os Cães Negros, “a vergonha do exército de Midland”, através do medo e pavor que causa em seus comandados, é um arquétipo definidor de seres que nada mais tem a ganhar ou a perder, simplesmente sendo feras sedentas por saques, estupros e crimes bárbaros dos mais variados. Totalmente formada por ex-criminosos, como ele próprio, a tropa dos Cães não se importa com nada a não ser com “Diversão e Emoção”, a qual inclui estupros de mulheres e assassinatos de homens, mulheres e crianças. Bravos e destemidos nos campos de batalha, tais soldados nem se importam em estar em território aliado ou inimigo, executando ações que os tornaram sinistramente célebres. O Rei de Midland, mesmo temendo tal homem e mantendo-o e à tropa dele longe de seu reino, convoca Wyald para dar cabo definitivo de Griffith e do que sobrou do Bando do Falcão.


“Diversão e Emoção”


São diferenciados momentos o dos eventos vertiginosamente moldados por Kentaro Miura no detalhamento dos embates entre os Cães e os Falcões. A perseguição, os combates individuais, as surpresas, as reviravoltas e o clímax narrativo do cerne deste volume se desenvolvem como uma corrente condutora a causar uma hipnotizante sensação de êxtase a cada passo da leitura. Wyald e Guts travam uma belíssima batalha, mesmo tendo o primeiro recorrido à sua forma demoníaca por não ter conseguido segurar a euforia diante de um inimigo à sua altura, marcialmente falando. Caska lidera os combatentes a seu comando fazendo uma resistência aos Cães que somente reduz cada um destes numerica e logisticamente. Mas, ela se expõe ao ver Guts gravemente ferido, quase é violentada por Wyald e é salva por aquele, que dá cabo daquele superando-o com uma brilhante estratégia de combate.


“Diversão e Emoção”


Mas, Wyald não morre, invade o acampamento do Bando e expõe Griffith diante de todos, humilhando-o. Para não estragar a surpresa para os que ainda não leram este volume, não irei contar o que ocorre com aquele monstro. Somente posso dizer que este, apesar da malignidade intrínseca inerente ao seu selvagem caráter, é até o momento o mais carismático vilão do mangá. Em apenas um volume, sua presença e atos extremamente condenáveis fazem lembrar do fascínio e tendências de parcelas desta Humanidade para com o Mal. Seu carisma se situa na demonstração de um certo divertimento todo emotivo na perversidade em que mutila, estupra, desmembra, esquarteja, decapita e destrói impiedosamente. Tem uma personalidade irônica, fazendo muito uso de um certo ar de deboche, chacote e muita arrogância para poder se impor entre seus soldados e diante de seus inimigos. No entanto, Guts teve a oportunidade de demonstrar toda sua extrema genialidade modos de combate que desenvolveu a nível exponencial durante seu afastamento do Bando, acabando com toda “Diversão” e “Emoção” dos cruéis latidos de Wyald e seus Cães.


Extrema Dor se iniciará a partir do próximo volume.


Infinitas Lágrimas serão vertidas a partir do próximo volume.


Até amanhã com outra sequência de acontecimentos arrebatadores desta obra-prima que é Berserk!


Saudações Inomináveis a todos vós, leitores virtuais!
























0 Loucas Pedras Lançadas: