Breve Relato De Uma Sagrada Artística Obsessão

Inomináveis Saudações a todos vós, leitores virtuais!

Hoje vou falar de uma obsessão, mas nada psicótica, doentia ou dotada de ismos irrelevantes que hoje causam tantos danos ao Ser Humano.





Uma obsessão que transcende, Tempo, Espaço, Caminhos e Razões tão correta e erradas ao mesmo tempo.




Uma obsessão que se transmuta em várias formas, cores, roupagens, limites e infinitudes cabíveis dentro de suas essencialidades. 




Uma obbsessão magicamente equilibrante do instinto de cima e de baixo da carne, pondo-se ao controle do pensamento criador.




Uma obsessão que participa da cativante obra de construtividade da intuitiva consciência criacionista de uma arte própria cono a minha e a de muitos.




Uma obsessão que em tudo vê o que há de Verdadeiro, Sublime e Belo sem medíocres concepções do senso comum.





Uma obsessão vista do ponto de vista da natureza artística, que sempre encontra um meio expressivo de explosão pictórica plausível.




Uma obsessão dançando entre o Divino e o Profano, a Claridade e a Obscuridade, o Racional e o Irracional, ou, simplesmente, A Arte.




Uma obsessão progressiva em cada medida que exalte as particularidades de si mesma em questões que desaparecem no Ato Criador: a Obsessão pela Mulher, pelo Feminino.




Obsessão pela Pureza Sensual Feminina.




Obsessão pela Pureza Sexual Feminina.




Obsessão pela Pureza Criacionista Feminina.




Obsessão pela Pureza Desnudante Feminina.




Obsessão pela Pureza Natural Feminina.




Obsessão genuína, infinda e poderosa em todo artista, este que, quando verdadeiro, não se preocupa com os aplausos ou as vaias que venha a receber. A Arte É A Arte, simplesmente; e toda mulher é, em si mesma, física, mental e espiritualmente, uma obra de arte.




Inomináveis Saudações a todos vós, leitores virtuais!




0 Loucas Pedras Lançadas: