Por Que Não Votei No José Serra Ou Na Dilma Rousseff?

 

 

José Serra

 

Dilma Roussef

 

Mórbidas Saudações a todos vós, leitores virtuais.

 

Dilma Rousseff tornou-se a nova presidente do país… Poderia ser, da minha parte, algo comemorativo, mas, a realidade, a realidade de alguém que como eu sabe ver o que ocorre sem as midáticas máscaras a tudo ocultar de errado, é bem senhora de um conhecimento que me entristece. Foi a vitória do Lulismo, um termo bem definido por Merval Pereira em seu livro O Lulismo No Poder, um sistema político centrado no populismo, na demagogia e na utilização da máquia estatal em prol de ideologias retrógradas, anacrônicas e insípidas maquiadas com todas as técnicas neo-liberais de encurtamento do poder e do dever do Estado em si mesmo. Ainda mais: é um sistema político que deu continuidade a uma política econômica que favorece sempre os donos do poder e que não enxerga realmente o povo do lado de baixo da sociedade brasileira. Pois é muito bom falar em “Programa de Aceleração do Crescimento”, “bolsa-família”, “cotas sociais”, “cotas raciais” e demais medidas paliativas para a resolução dos problemas nacionais, porém, toda essa maquiagem, manipulação e maquinação está verdadeiramente auxiliando o povo brasileiro?

 

E se o José Serra ganhasse? Obviamente, seria o terceiro reinado de Fernando Henrique Cardoso, ou seja, um retorno ao incremento da política neo-liberalista praticada por este que quase vendeu todo o país para as multinacionais estrangeiras. Seria o retorno da política de benefícios aos mais ricos em detrimento dos mais pobres. E é aqui que ajunto a indagação do último parágrafo a este outro indagador fato: quais as diferenças reais entre os oito anos de FHC e os oito anos de Lula? Somos hoje residentes em uma superpotência, como almejado pelos dois? Somos hoje residentes em um país que acabou com os altos índices de criminalidade e violência? Somos hoje residentes em um país que extinguiu o tráfico de drogas? Somos hoje residentes em um país que extinguiu a miséria? Somos hoje residentes em um país com oportunidades iguais para todos? Somos hoje residentes em um país cuja saúde pública funciona maravilhosamente? Somos hoje residentes em um páis cujas escolas públicas possuem avançadíssimos recursos para os seus alunos, como as escolas particulares, com as suas alttissimas mensalidades, possuem? Somos hoje residentes em um país onde todos nós somos felizes e sorridentes, a dizermos uns para os outros que “a vida é bela”?

 

Alguns podem dizer que “políticos não fazem milagres”; sim, eu sei bem que não fazem, mas em um país que necessita de obras sócio-econômicas mais densas e profundas para a sua melhoria total ser sede de uma Copa do Mundo e das Olímpiadas, competições esportivas que são inúteis em si mesmas, apesar de gerarem inúmeros empregos TEMPORÁRIOS, fica bem difícil crer em uma mudança advinda da “primeira presidente mulher do Brasil” (frase que revela o eterno machismo bem arraigado na alma brasileira, como se na História do mundo fosse novidade uma mulher no centro do poder). Não votei na senhor Dilma Rousseff e nem no senhor José Serra, dois animais políticos de uma era ultrapassada, infeliz, amorfa e decadente que continuará a sofreguamente sobreviver nos próximos quatro anos no Brasil. Uma era de dezesseis anos de mentiras, puras mentiras, imensas mentiras; era de um sofisma bem digno do discurso populesco medíocre do senhor ainda Presidente Luis Inácio da Silva, um grande mentiroso defensor de corruptos mensaleiros. Uma era que abomino, era que enfrentei nas urnas votando, no primeiro turno, na Marina Silva, e em branco, no segundo turno, exercendo o meu direito de revolta contra um sistema politiqueiro que cheira a fezes e a mijo.

 

Mais quatro anos de PT, mais quatro anos de Lulismo, mais quatro anos de Neo-Liberalismo disfarçado e ocultado sob diversos outros nomes… Quem, entre as mentes esclarecidas,  verdadeiramente esclarecidas, neste país, suportará?

 

Saudações Mórbidas a todos vós, leitores virtuais. 

 

 

2 Loucas Pedras Lançadas:

eu tbm me arrependo de quem votei...mas fazer o que, não tinha muitas escolhas de candidatos não é?

obrigada pelo comentário em meu blog!

abraço!

http://artegrotesca.blogspot.com

Não votei em nenhum dos dois, seria pura perda de tempo e, até, um crime contra a Humanidade o que eu faria. Mas, respeito o seu voto, assim como os do que escolheram qualquer um desses dois.