As Amazonas De Thades - Livro Um - Sangue Na Espada Da Alma Eterna Dos Guerreiros - Quatro Silêncios Exteriores


Cidade Eterna De Esneh, Egito


09:30h


A população atual do Egito atualmente é a maior do Continente Africano. A fuga de sobreviventes dos massacres promovidos por Leonan nos demais países do Norte Africano (Marrocos, Argélia, Líbia, Tunísia, Saara Ocidental, Mauritânia, Senegal, Mali, Guiné, Guiné-Bissau, Lesoto, Libéria, Costa do Marfim, Gana, Togo, Benim, Burkina Fasso, Níger, Nigéria, Norte do Chade, Norte do Sudão) concentrou no país 2.211.009.556 habitantes, sendo 2.211.009.556 nativos e 88.288.384 imigrantes. O Cerco Do Egito, comandado por Marga e Zeloa desde 29/10/3086, impossibilita a saída das Ajjadfxs egípcias para as outras regiões continentais; 560000 Ajjadfxs Baalciferjinns (12.880.000.000 integrantes; 230.000 por Ajjadfx), 687.900 Ajjadfxs Xifarg (72.195.000.000 integrantes; 150.000 por Ajjadfx), 881.200 Ajjadfxs Grilock (132.180.000.000 integrantes; 150.000 por Ajjadfx) e 88.183.433 Ydrasgkuthas Dkakudas (discípulos de Marga e Zeloa) cercam todas as fronteiras do país, o único que não foi conquistado pelas Leoas Sangrentas De Argel no Norte Africano. Opharin Can é o obstáculo maior à conquista do Egito e não fosse a sua genialidade como estrategista e Verfdax Pdehuuyf da Lophst e da Darzh Anreteniud o seu país já há muito estaria fazendo parte do domínio sanguinário de sua ex-discípula Leonan. A Matadora De Gigantes exterminou sozinha,no comando de suas Ajjadfxs pelo Egito, o quíntuplo do número de inimigos que agora cercam-lhe o país; as baixas mortais entre os seus Oryshasdars foram de 55.900.100 e as perdas, na forma de prisioneiros, 112.344.776. Estes prisioneiros foram torturados e mortos pessoalmente por Marga e Zeloa; Opharin não faz prisioneiros, proíbe a tortura, e ordena a todos os seus comandados que em batalha dediquem-se à execução de seus inimigos.

Do alto do Templo Can da Lophst Anreteniud de Esneh, sob um sol poderosamente a banhar-lhe a bela negra pele, Opharin admira o silêncio de sua cidade-natal. No térreo templário, a 543 km do solo, ela sente o silencioso tremor mundial que antecede ao Oitavo Levante, sente seu Espírito Guerreiro silenciosamente presente em cada país, silenciosamente dançante no Grande Espírito Da Guerra A Abraçar O Espírito Planetário Terrestre. Esneh está silenciosa, os seus moradores, mais do que incinerados pela sua líder a lutarem por suas existências durante os dois anos, dois meses e dois dias de Cerco, aguardam pelo ataque de seus inimigos dispostos pelas ruas da Cidade. Opharin sente-lhes o silêncio; Sente Todo O Silêncio Exterior De Todas As Almas Guerreiras Movendo Espíritos Guerreiros Pelo Globo Terrestre; e, no Interior Silencioso Maior de sua Morada Mental Silenciosa, ouve os sons de seus próprios Silêncios. “Como estará a minha filha agora? A filha que por amor abandonei, que eu não queria que vivesse como uma peregrina junto comigo pelo mundo? Jezer tem agora onze anos, não a vejo desde os três... Eu Vejo que ela lembra de mim, mas me odeia pelo que fiz... Odiar... Odiar é a última coisa que em minha Alma Guerreira deve nascer pelo fato de meus irmãos terem se aliado a Marga e Zeloa para atacarem o país no qual nasceram. Não pude matar nenhum deles, não pude derramar o sangue dos Can, meu Vohuyt, meu Sagrado Vohuyt, durante esses dezoito anos de batalhas ininterruptas, porque não está em mim a vontade de derrubar aqueles que no passado eu quis matar... Mudei muito... Mudei demais... Eu os mataria a todos se ainda tivesse quinze anos de idade, possuindo desejos ambiciosos de poder e crueldade idênticos aos de Marga e Zeloa... Mudei, por Thades, eu mudei desde que compreendi que a ambição pelo poder e a crueldade são Desejos De Queda Fora Das Ondas Do Grande Nilo Pai Dos Verdadeiros Sentidos Dos Destinos Dos Seres Moldados. Iugani, que auxiliou-me a mudar, agora é minha inimiga... Todo o meu Vohuyt é meu inimigo... Minha filha, Vejo, é minha inimiga... Por Thades, tantos inimigos eu tenho, tantos que fazem-me pagar pelos meus crimes... Cush é minha única amiga, única verdadeira amiga... Mas, eu queria ter milhares de amigos ao invés de bilhões de inimigos...”


Cidade Eterna De Persyara Doth, Continente Ártico


11:30h


O continente artificial de 4.510.000 km² arquitetado por Thades e construído pelos primeiros colonizadores keauriothenianos na época da Reconstrução (1981-1985), governado pela Grande Kaysara, junto com o Antártico representa para o Grupo De Beria a base de apoio de chegada das Ajjadfxs aliadas ao planeta. Sob a responsabilidade de Kaysara está a Torre De Magnetismo Eterno Terrestre Boreal, Construto Tecnomístico que controla o Pólo Magnético Terrestre Boreal através das Energias Cósmicas Do Espírito Eterno Terrestre. Como a Torre Do Magnetismo Terrestre Austral, no Continente Antártico, ela eleva-se a 2.266.000 km além da atmosfera terrestre e é controlada pelos praticantes maiores da Darzh Anreteniud Ghaaref que manipulam o Cosmos Planetário a fim da manutenção do estabilizado clima planetário, o qual fora afetado pelos efeitos do conflito nuclear que caracterizou a Terceira Guerra Mundial. Sendo dois Pontos Cósmicos Equilibrantes que não deixam de estarem relacionados com o Kosmos Da Criação, as Torres são também Pontes De Teletransporte E Deslizamento Cósmico-Temporal, acessando todos as Categorias De Vias, Caminhos E Pontes Interdimensionais seguras para o deslocamento das Ajjadfxs aliadas a Beria realizado por Thedia. O espaço cósmico físico tornou-se perigoso, pois é policiado pelos Baalciferjinns; e 344 trilhões de Ajjadfxs foram extintas quando tentaram chegar à Terra pelos caminhos espaciais físicos. Há batalhas nas Interdimensões, mas o número de baixas é bem reduzido graças aos talentos estratégicos de Thedia, grande amiga de Kaysara. Esta, que governa o Continente Ártico desde 2912, é uma Oryshasdar Anreteniud Ghaaref conhecida como A Senhora Grandiosa Obedecida Pelos Astros Errantes Cósmicos. Destaque máximo de 11500 guerras contra os Joadhret Arborienitud e Turamonjiari pelas possessões universais Keauriothenianas e de Joadhrets aliados, não defende apenas a Torre.

O clima tropical continental não lembra 0,01% do que era o Ártico antes da Colonização Keauriotheniana. Com ricas fauna e flora entre as torres menores que constituem uma megalópole graciosamente moldada, apresenta 1.788.400.055 habitantes, todos Keauriothenianos Puros, Ydrasgkuthas poderosos e membros da Tropa Cósmica Terrestre De Persyara Doth, A Primeira Governante Imperial Continental Ártica, fundada em 1990. Kaysara, a 49ª Governante, A Maior Dos Doth, líder da Tropa, observa no pequeno jardim de flores silvestres keauriothenianas, Erpwws, a silenciosa caminhada de um pequeno mamífero keauriotheniano, Darawe. O silencioso mover das sete mil pequenas patas do Darawe é minuciosamente observado pela Senhora Grandiosa, serenamente sentada no jardim e sorridente enquanto pelo Continente seus nervosos discípulos aguardam o início dos combates. “São as pequenas vidas que o Kosmos abençoa quando pousa o Seu Olhar sobre os Jardins Moldados Da Existência Eterna. Sou uma Filha Eterna Cósmica Da Guerra, mas Sei apreciar, apreciar sem querer julgar o porquê menor ou maior do meu apreciar, o evoluir das pequenas vidas. Amo esses seres que são tão parecidos com os humanos... Alguns humanos diziam antigamente que aqui no Ártico e na Antártida não havia nenhum deles como residente porque o domínio keauriotheniano planetário era tão tirânico que a posse dos dois Continentes marcava a certeza desta tirania. Alguns humanos ainda não compreendem que as Torres que conferem a beleza tropical ao seu planeta sem chuvas e tempestades, terremotos e tsunamis, e demais catástrofes naturais, necessitam ser defendidas por seres que são mais do que humanos. Nós, da Raça Keauriotheniana, como aprendi lendo Os Pergaminhos Cósmicos De Artcsom Ocitilop, jamais devemos desmerecer outras Raças Moldadas que, Ao Olhar Amoroso Do Amor Cósmico Que Ronda O Kosmos, são nossas Irmãs Maiores. As Torres são o sustentáculo da manutenção de Beria como Governante Keauriotheniana e eu, como todos os meus discípulos e os discípulos de meus pais, sabemos que cairemos apenas no Sonho Cósmico Do Nada quando o Nada For Pai Do Todo, o que jamais ocorrerá. Aqui e na Antártica os humanos não são necessários, isto eu devo admitir para mim mesma; além de mim, todos os líderes do Grupo De Beria admitem o mesmo porque apenas a Bioespiritualidade Perfeita Keauriotheniana poderá manter as Torres conosco. O Grupo Das Quatro vai enviar para este Continente e para o Antártico as suas forças máximas; que a própria Basemath tente conquistar o meu Continente ao lado de Anirak... Que as duas venham, pois assim como eu estou admirando este belo Ser Moldado, admirarei vê-las estraçalhadas pelo Pai Kosmos, O Pai Das Torres.”


Cidade Eterna De Nardsa Jathekyr, Continente Antártico


00:30h


Nos 13.000.000 km² do Continente Antártico remodelado por Thades durante a Reconstrução igualmente, como no Ártico, há rica fauna e flora, clima tropical harmônico e apenas Keauriothenianos Puros como residentes. São 6.800.335.889 destes, governadas pela Grande Palaras, pertencentes à Ordem Dos Guardiões Cósmicos Terrestres Do Sopro Cósmico fundada por Nardsa Jathekyr, A Primeira Governante Imperial Continental Antártica, em 2006. Palaras é conhecida como A Leoa Cósmica Sagrada De Karadarjan, O Princípio Maior Automanifesto Do Espírito Guerreiro Do Kosmos, e foi a responsável pelas extinções de 337.299.500 Ordens criminosas pelo Universo Gênesis, liderando com sua amiga Kaysara os seus discípulos. Governando a Antártida desde 2996, não poupou a existência de nenhum criminoso que ousou invadir a Terra e contabilizam-se 3.511.600.988 destes que ela, percebendo-os rondarem o planeta a fim de encontrarem uma maneira de invadirem-no, exterminou. Apelidada por Beria de Policial Infatigável e Terror Dos Mercenários Universais, sempre preocupada com a Ordem Cósmica De Todas As Vidas Moldadas Sob O Bem Moldado, é uma inimiga tremenda de todos os malignos ou apoiadores de malignos. Ela possui vários outros apelidos que geram temor e respeito pela Criação, já que sua meta de valorização da Ordem leva-a a ser extremamente impiedosa contra todos os criminosos, o que é, aliás, um comportamento comum aos Seres Evoluídos Keauriothenianos que lutem pela Justiça e pelo Bem Moldados. Mais do que uma Guardiã Cósmica, Palaras Sabe que lutar contra a mediocridade de uma vida sem lutar contra criminosos a tornaria um ser que deveria ser extinto por qualquer Baalciferjinn. E mesmo antes de Beria liberar alguns ataques a estes pelo mundo, ela já exterminara, Deslizando Astralmente pelas Interdimensões, protegendo os Deslizamentos Materiais de Thedia com as Ajjadfxs que ela traz à Terra, 445.998.193.102 Arquimestres Baalciferjinns.

A dedicada Palaras caminha silenciosa por entre seus discípulos, os quais, pelas ruas do Continente, em pé, meditam de olhos abertos direcionados para a Torre. Esta eles não vêem, mas Vêem Karadarjan Em Sua Forma Cósmica Que É A Forma Cósmica De Cada Um Deles Como A Forma Do Kosmos. Palaras, silenciosa, deu-lhes este último Treinamento Místico antes do banho de sangue que vai adormecer este silêncio que ela agora aproveita como leve e passageira pausa de sua sanguinária trajetória como Mantenedora Da Ordem Cósmica. No Silêncio Cósmico ela nunca adormece, pois Ouve Todo Silêncio Dos Inimigos Do Kosmos Que Também São Os Seus Inimigos Por Toda A Criação. “Beria me disse que eu possuo a ‘síndrome da policial obcecada em ser uma maravilha de protetora de todos os fracos e oprimidos da Criação’. Senti o forte tom de deboche dessa provocação dela, mas mesmo não gostando do que ela disse eu tenho que concordar com tal visão. Não gosto de saber que Seres Comuns de outros planetas sofram nas mãos de criminosos que eu gostaria de, um por um, esmagar com todo o Ser Automanifesto Do Kosmos que, se eu pudesse, dominaria para tal! Porém, o Pai Kosmos não atende a interesses egoístas e a minha idealização de defensora dos mais fracos da Criação, defensora infinitamente, não me dá o direito de pedir a Ele essa Atitude Automanifesta. Mesmo Sabendo E Vendo o que as Jras fazem com Bathana Solasmorf Re Gur Te On Di Ar A’O e todos os Berthunianos, não posso afrontar a Vontade Automanifesta Cósmica e Outras para auxiliá-los, não posso, não posso... Tenho, então, que concentrar-me no que eu posso fazer distante de qualquer afronta aos Automanifestados Acima De Mim! Matar e extinguir Inimigos Do Kosmos como os Baalciferjinns dá-me alegrias maiores do que me sentir Viva Cosmicamente Deslizando Como Centelha Cósmica Pelo Kosmos! Matar e extinguir os Traidores Da Darzh Anreteniud vai ser o meu Novo Nascimento Eterno! Estou agora ‘obcecada’ em transportar esses Traidores e os Baalciferjinns que atacarão o meu Continente para os Horizontes Da Criação que os acolherão com amorosa potencialidade: Os Abismos e Os Limbos Cósmicos Do Caos Automanifestado que extinguem tudo o que Neles cai ou é lançado! A Torre mantém contato com esses Horizontes Cósmicos... Se eu arriscasse Abri-La Materialmente, perderia os meus discípulos e aqueles reforços que Thedia está trazendo... E poderia até enviar a Terra para algum Deles... E a Criação toda... Mas, pensando em um plano tático que não torne tudo assim tão dramático...”


Ilha De Thidan


23:30h


A ilha localizada no Pacífico Norte possui 18.401.800 km², entre a Ásia e a América, é um dos grandiosos geniais projetos arquitetados por Thades durante a Reconstrução que manifestaram a peculiar primazia construtivista keauriotheniana. Através das Torres, os níveis dos ambientes hidrográficos foram estabilizados e ilhas e ilhotas artificiais puderam ser modeladas em suas superfícies. A Ilha De Thidan, assim como as de Thades e Thaiden foram as maravilhas mais formidáveis, materialmente, que O Maior Da Raça Keauriotheniana moldou na Terra que renasceu das ervas atômicas que contaminaram-na. A ilha governada por Kulian, assim como suas ilhas irmãs artificiais, são consideradas Solos Eternos Sagrados e raramente durante os Levantes Do Aço foram atacadas. Mas, Mariah, a Oryshasdar Vsdurak das Ajjadfxs de Rubia, realizou alguns ataques às ilhotas livres da Oceania que encontram-se no caminho até a Ilha De Thidan e muitas vezes quase invadiu-lhe. Não foi invadida porque Kulian, auxiliada por Essiclar, Masaka e Luchenian, excelentes Oryshasdars, ergueu forças defensivas que interromperam os avanços da perigosa Mariah. No entanto, os quatro líderes da resistência ao Grupo Das Quatro na Oceania sabem que não será eterna a manutenção do distanciamento dos inimigos da Ilha Sagrada. Até esta, nas ilhotas livres encontram-se 13.488.913.008 aliados de Beria e na Ilha, ambicionada por Mariah desde o início de seus ataques aos aliados da Herwaj, além dos quatro líderes, encontram-se as 1.990.655.401 discípulas de Kulian, as quais dedicaram-se a defenderem a liberdade de sua sagrada residência. Contra eles, 30 x 10¹² moradores das demais ilhotas e Ilhas-Estado Imperiais, 431 x 10³³ Baalciferjinns e 23 x 10²² Keauriothenianos Puros, gigantes do Vohuyt Gath advindos de outras colônias planetárias em auxílio à Maior de seu Vohuyt, Rubia.

Kulian. Essiclar. Masaka. Luchenian. Silenciosamente, os quatro líderes estão na praia leste da Ilha à frente de 33.112.344 Oryshasdars Anreteniud todas silenciosas; à frente de 22.100.398 Oryshasdars Rthudans’Anreteniud todas silenciosas. Silêncio a todos une, a todos os defensores do Grupo De Beria, nos territórios ainda livres da sanguinária marcha conquistadora de Rubia e Mariah iniciada em 3086. Silêncio, o silêncio, dota a todos na Ilha De Thidan das lembranças de todos os que foram exterminados pelos inimigos. O silêncio de cada mão empunhando uma arma grita para não ser mais silêncio, grita para deixar de ser silêncio, grita para ser o som de vidas inimigas sendo derrubadas. O silêncio de cada Arma Mística e Tecnomística grita para ser a realizadora do derrubar de vários gritos inimigos. O silêncio vem a trazer lembranças a todos, lembranças silenciosas que gritam, lembranças silenciosas que choram. O silêncio faz o ódio pelos inimigos gritar. O silêncio faz alguns rostos guerreiros serem banhados por silenciosas lágrimas guerreiras, que não são enxugadas. Kulian chora, sem enxugar as suas lágrimas. Essiclar chora, sem enxugar as suas lágrimas. Masaka chora, sem enxugar as suas lágrimas. Luchenian chora, sem enxugar as suas lágrimas. O silêncio chora, tentando enxugar toda lágrima que ouve cair. O silêncio guerreiro chora por não conseguir enxugar toda lágrima que ouve cair. O silêncio todo chora porque sabe que não pode ficar eternamente sendo silêncio nos seres que pela Criação querem-no eternamente como seus. O silêncio chora como uma arma silenciosa alimentando todas as armas dos do Sangue Eterno Keauriotheniano que aguardam a vinda de seus inimigos. O silêncio é o aguardar mais monumental da vinda de odiados inimigos. O silêncio já está sendo deles inimigo porque está sendo rejeitado pelos que querem ouvir os sons do Aço Eterno das armas em batalha a chocarem-se e a decidirem qual guerreiro deverá ouvir Aquele Alto Silêncio Que É O Silêncio Verdadeiro.



0 Loucas Pedras Lançadas: