O Detalhismo Pictórico De Uma Filosofia Mística


Anunciação – 1472-1475 – Leonardo da Vinci



Inomináveis Saudações a todos vós, leitores virtuais.


Creio que todos vós estais cientes da genialidade de Leonardo da Vinci (1452-1519), um dos Grandes Mestres Da Pintura e o quinto na lista minha dos dez pintores que admiro e apaixonadamente entro em contato. Já se fizeram várias especulações, algumas as mais ridículas e risíveis, tolas e desprovidas de uma vera intelectualidade, acerca da obra e da existência material de da Vinci, sendo a mais recente aquela comédia elementar de última categoria escrita pelo “grande escritor” Dan Brown, um “best-seller”, uma “obra-prima” destes contemporâneos tempos de baixa intelectualidade. Procura-se sempre notar nas pinturas antigas o seu aspecto direto, o que narra ao olhar dos contempladores da mesma algo direto, referente aos fenômenos que rodeiam todas as humanas gentes; o aspecto místico de muitas dessas pinturas, como as de da Vinci, ainda mais nesta nossa época de imensa atrofia espiritual, são negativamente esquecidos e, quando lembrados, ficam apenas ao nível da religiosidade. A pintura postada acima, Anunciação, pintada de 1472 a 1475, está acima da religiosidade cristã, aproxima-se da realidade pagã e centraliza-se na realidade iniciática dos místicos mais raros de todos os tempos e todos os povos. Não há “o segredo” na estrutura dos quadros de da Vinci, toda a obra dele foi realizada através de um Sagrado Amor apenas compreensível pelas visões dos profundos olhos d'alma dos mais espiritualizados.





Olhai para o sinal feito com a mão direita pelo Anjo. Aquele sinal é o da Iniciação Esotérica, que, conforme Eliphas Levi vem a explicar-nos, recomenda os Mistérios aos Iniciados. A mão está voltada para o alto, simbolizando o apontar de todas as coisas realizadas neste mundo para as esferas do Bem, da Justiça e da Misericórdia; como não vemos a mão esquerda do Anjo, não podemos dizer que aponte para baixo, representando os princípios a estes contrários, criando um equilíbrio necessário; no entanto, com um esforço nada pesado de nossas imaginações, podemos deduzir que a mão esquerda esteja para baixo para que O Equilíbrio Das Formas Se Torne A Balança Inquebrável. Toda a postura do Anjo revela sua alta categoria, pois, como diz-nos a Bíblia, ele é Gabriel, Aquele que anunciou à Maria que esta geraria um rebento advindo das mais Altas Esferas. Na mística pagã, o Espírito Da Natureza anuncia à Mulher Lunar que esta parirá o Filho Do Deus, um Ser abençoado que no Berço Da Deusa exercerá o cumprimento de sua Missão Espiritual.



E Maria responde ao Anjo com o mesmo sinal de esotérica vestimenta, a mão próxima ao coração demonstrando a recepção da mensagem que Este lhe traz. Sua postura lembra a das Deusas Mães escolhidas como as representantes das origens dos povos; e qual melhor alegoria do que esta para que possamos interpretar a sua postura como a da Deusa Mãe do povo cristão que seguiu as premissas espirituais de seu filho mui sagrado? Venerável a figura toda de Maria, assim como a do Anjo, expressando os dois uma equilibrada virtude que cada centímetro de suas vestes faz transbordar; simboliza-se assim o Iniciado que responde ao Sinal Do Alto com a mais completa serenidade que aborda a sua busca pelo Elevar-Se cada vez mais.



O olhar tranquilo de Maria, a fazer apresentável todos os olhares dos místicos que diretamente relacionam-se com as Luzidias Forças e Luzidias Formas. Seu rosto impregnado está de uma luz que se expande a partir de sua testa, o local onde apresenta-se o terceiro olho, o chakra frontal, o Ajna, cujas qualidades Despertas em toda a sua extensão são estas: Concentração, Devoção, Intuição, Imaginação, Realização Da Alma e Sabedoria. Concentrada, A Deusa Devota-Se À Sua Plena Intuição E Imaginando-Se Mais Do Que É Realiza-Se Em Sua Alma Como A Sábia Que Ascende Ao Alto Das Escadarias Existenciais, Caminho trilho pelos místicos do mundo tão absorvidos em sua Ascensão e exibidores na fronte da mesma luz que no rosto de Maria, acima, presente se faz.




O mar, ao fundo, suas ondas, suas forças, seus Mistérios, suas Profundidades... Os místicos devem nadar nessas correntes de Profundidades, de Mistérios, formando as suas mais altas Forças e somando-se às Ondas Do Grande Mar em direção à Mais Alta Montanha, que vemos quase apagada. A Mais Alta Montanha é A Montanha Da Iniciação, que cada místico deve galgar com a mais fina expressão de sua essencialidade, depurando-se, libertando-se das materiais pequenezas, abortando demasiadas expressões de sua personalidade, agindo na firmeza de sua despersonalização. O Anjo representa a Alta Mensagem que ele ouve dentro de si mesmo; Maria é A Força Do Feminino que ele descobre em si mesmo, A Mãe Primordial Cujo Útero Fecundante Anima A Todas As Espirituais Obras Ascensórias; e a paisagem toda do quadro em si, uma paisagem além do Continuum Espaço/Temporal, animada de uma Vitalidade desconhecida pela Humanidade, é o símbolo desta elevação dos Iniciados, que não pensam em questões temporais, em questões espaciais e, sim, em Questões Além De Todas As Questões.


Questões que lixos como “O Código da Vinci” jamais atingirão.


Saudações Inomináveis a todos vós, leitores virtuais.


Links:

GENIOS DA ARTE - LEONARDO DA VINCI - Fnac

LEONARDO DA VINCI: BIOGRAFIA ILUSTRADA - Kenneth Clark

Livro: CIENCIA DE LEONARDO DA VINCI, A - CAPRA, FRITJOF

Frisa Produtora - Leonardo da Vinci - Renascimento Cultural

Leonardo da Vinci - O Grande Génio do Renascimento at Biosofia



0 Loucas Pedras Lançadas: