As Amazonas De Thades - Livro Um - Sangue Na Espada Da Alma Eterna Dos Guerreiros - Ampliando Olhares De Verdades



Cidade Eterna De Los Àngeles, Chile


03:30 h


A Cidade de 2.223.450.112 habitantes nativos está preparada, como as demais Cidades Eternas mundiais, para o conflito anunciado desde o ano de 3070, o da formação do Grupo Das Quatro. Há nela cinco Templos da Darzh Anreteniud, respectivamente governados por Kaeon Harok, Freyun Loderannhun, Borahda Ernalm, Laranna Serah e Maria Sheda Rojyrtiuyhann-Fernandez, contabilizando 145.988.051 Oryshasdars Rthudans’Anreteniud Grilock, 28.300.233 Oryshasdars Rthudans Xifarg e 344.765.901 Oryshasdars Rthudans’Anreteniud Xifarg. Mas, a fama da cidade chilena advém do Templo da Lophst Anreteniud governado por Cush Terah. Único na cidade, ocupa uma área de 349.111 km², 65% do território no qual localiza-se aquela; e estende-se em sua porção subterrânea por 22.112.400 km abaixo da superfície. Dedicado a Sehnidon, construído com o Metal Cósmico chamado Ryujarehlonn, convertido em Matéria Física após depuração de sua Matéria Espiritual a partir de Poeira Cósmica, reluz prateado destacando-se dos outros Templos. Cush agora fala a todas as suas discípulas, 90.160.656 no total, formadas no decorrer dos seus 262 anos como Verfdax Pdehuuyf formada por Harizaellaa Harok. Delas, 87.360.112, Ydrasgkuthas, residiam em outras Colônias Planetárias Keauriothenianas pelo Universo Gênesis e foram convocadas de volta à Terra no início deste mês de dezembro de 3088. São 22 % humanas, 49 % Keriaunotheds e 29% Keauriothenianas Puras, As Filhas Da Espada Terah, a Ordem fundada por Cush em 12/04/2913, sendo que muitas membras foram fundamentais em diversas guerras travadas pelo Joadhret Keauriothen, pois 87% delas são Ydrasgkuthas Lophst Anreteniud.

O respeito por Cush é imperialmente reconhecido como ainda maior pelo fato dela ser um Tyuredf Kundseab que, como sua Verfdax Harizaellaa, da mesma Condição Evolutiva, formou Ydrasgkuthas. Não pode ainda ser denominada A Maior Dos Mestres Terrestres E Da Criação Da Lophst Anreteniud, mas pela sua construtiva contribuição para o desenvolvimento desta candidata-se a futuramente ser considerada dessa maneira pelos Sawwkyrs. Cush para isto não liga, pois simples como é, preocupa-se mais com a segurança do Joadhret e com as vidas que seu senso ético de Oryshasdar propôs-se a defender. Ela discursa para as suas discípulas no centro do Towara, A Arena Secreta De Sehnidon, composição subterrânea do Templo dedicada aos Torneios Internos, ocorridos periodicamente com a participação exclusiva de suas discípulas e a proibição de espectadores que não residem no Templo, a fim de ver-lhes as evoluções nas maneiras de lutarem e aprimorar as suas Doutrinações Marciais. Towara, de 44.387 km², comporta todas as discípulas nas arquibancadas simetricamente dispostas em forma decagonal, conforme as estaturas daquelas que nelas dispõem-se. No centro da arena de 252 m², Cush aviva a veia guerreira delas

... e o esperado pelos nossos inimigos é que nos caiamos como presas indefesas desarmadas nas táticas que acham que nos sublimarão negativamente! Enganados eles estão se vêem que esta Cidade Eterna vai cair diante de Ajjadfxs quaisquer! Ela não cairia nem diante de todos os Joadhrets que são inimigos do Joadhret Keauriothen! Esta Cidade, em todos os Levantes Do Aço anteriores, foi inconquistável graças às Oryshasdars que neste Templo foram formadas! Esta Cidade, Filhas Da Espada Terah, eu defendi no Sétimo Levante Do Aço dos ataques de inumeráveis Ajjadfxs Baalciferjinns e estas minhas mãos guerreiras decapitaram Dkakudas que os Torewuzgas Keauriothenianos não puderam vencer! Este país todo, o Chile, foi igualmente inconquistável, não apenas por causa do Vohuyt Terah, mas pelas qualidades guerreiras do povo chileno! Todas nós temos tais qualidades inatas! Todas nós devemos defender este Continente e este mundo, até todo o Império, dos traidores que com os Baalciferjinns querem dominá-los! Não é aqui apenas, não é pelo Chile apenas, não é pela Cidade Eterna De Los Àngeles apenas, que nós, Oryshasdars Anreteniud, devemos lutar como Defensoras Que Nunca Abandonam Suas Torres De Posição Fixa Que Não Caem No Solo Que Não Permanece! Solos Guerreiros Modificam-Se, Torres Guerreiras São As Mesmas Do Início Ao Fim Dos Inícios Isentos De Fins! Eu não lutarei por Beria Serah, Unghiar Ronan e Belah Jac, minhas inimigas, três mulheres que para mim não existem como Companheiras De Alma Eterna! Vocês são minhas Companheiras, eu sou vossa Companheira, e com a sinceridade inata que herdei dos meus Lytrhuas Anreteniud digo que lutarei pela Darzh Anreteniud! Quer aqui muitas gostem de Beria, algumas de Unghiar e poucas de Belah, eu farei sinceramente a parte de defender a minha convicção de lutar unicamente pela Darzh Anreteniud! Gostem ou não delas, eu não me importo! Pelo menos temos em comum o fato de lutarmos pela Darzh Anreteniud!

Filhas Da Espada Terah, minha mãe, Shebrine Terah, assim como eu reuniu as suas discípulas nesta mesma Towara antes do início do Sétimo Levante e elevou-as no orgulho de serem Oryshasdars que lutariam, acima de qualquer Sentido Material Maior Ou Menor, pela Darzh Anreteniud! O Espírito Eterno De Shebrine Terah, de Valamar, A Região Da Morada Eterna Onde Repousam Todos Os Guerreiros Eternos Que Não Necessitam Mais Da Matéria Para Evoluírem, gosta de observar-nos agora e nos acompanhará em cada batalha que travaremos! Lutaremos também pelo Sangue Eterno De Thades, que dos Anéis Da Eternidade está a observar a todos os que se enfrentarão aqui na Terra e pelo Império Keauriotheniano! Porém, é à Nossa Mãe Darzh Anreteniud que devemos oferecer o sangue extraído dos corpos dos Baalciferjinns e dos Oryshasdars Anreteniud e Rthudans’Anreteniud que traíram-na! Auxiliaremos no fim do Grupo Das Quatro, No Fim Que É Fim Verdadeiro! Pelo Poder Guerreiro De Sangue Inimigo A Ser Derramado Pelos Terah, Nós Que Somos Filhas Da Espada Terah Devemos Sorver O Nosso Sangue Guerreiro Em Nossas Almas Eternas De Espada Rija Preparada Para Extinguir Os Mais Rijos Inimigos!

Pelo Poder Guerreiro De Sangue Inimigo A Ser Derramado Pelos Terah, Nós Que Somos Filhas Da Espada Terah Devemos Sorver O Nosso Sangue Guerreiro Em Nossas Almas Eternas De Espada Rija Preparada Para Extinguir Os Mais Rijos Inimigos!

As discípulas da Verfdax Pdehuuyf Lophst Anreteniud chilena emitem em uníssono o Grito De Juramento Guerreiro Das Filhas Da Espada Terah, Grito De Amor Ao Guerrear, Grito De Louvor Ao Derramamento Justo De Sangue Nos Justos Campos De Batalha, Grito Definidor De Como Se Deve Ser Guerreira Verdadeira E Verdadeira Guerreira No Campo Da Batalha Da Vida Eterna! A euforia é máxima, mulheres talhadas para serem decisivas em todo o tipo de problemas sentem o ardor de Cush em suas veias guerreiras! Nasceram todas para a Guerra! Nasceram todas para serem mulheres que anseiam pelo guerrear que glorifica o despertar de sentimentos fortemente guerreiros! Sob tal clima, sob tal calorosa cena, a empolgar igualmente Cush, que puxa o coro da repetição do Juramento seguidamente, haveria alguma mulher tão talhada para o guerrear como elas que não estivesse eufórica? Há tal mulher, de braços cruzados, sentada 65 m. à frente de sua Verfdax, vestida de negro, de olhar e aparência sombrias, face fechada e endurecida. A única mulher guerreira que não vê prazer íntimo e excitação no que sua Verfdax disse durante as seis horas durante as quais discursou é Jezer Can. Sua face sombria demonstra inflexibilidade no visualizar da euforia guerreira de suas Companheiras De Alma Eterna. Companheiras De Alma Eterna? Jezer jamais sentiu-se igual a Cush e suas colegas templárias no modo de ver as Fontes Evolutivas Da Existência De Todas As Coisas. Sempre afastada dos grandes movimentos de temperamentos tão distantes do seu, manteve-se durante todos os seus oito anos de Treinamento Marcial em seu próprio mundo distante do mundo do Templo. Não é amiga de Cush, mas respeita-a como uma mãe; não é amiga de suas colegas templárias e nem respeita-as como Oryshasdars, achando-as medíocres e vazias; é amiga, neste Templo, apenas de si mesma e de seus solitários pensamentos. Suas únicas amigas fora dele são, até o momento, Beria e Marine, esta que é a filha mais nova de Cush, residente na Ilha De Thades; na verdade, fazer amigos não lhe interessa, pois apenas pensa em táticas militares e marciais. Com desprezo olha suas colegas eufóricas; escarnecendo delas com algo que se parece com um sorriso sarcástico, pois raramente sorri, envolve-se com os seus amigos pensamentos.

Vejo essas imbecis comemorando o incentivo de Cush Terah para as suas vidinhas de Oryshasdars e penso no quanto podem ser medíocres pessoas como elas que se emocionam com discursos exaltantes recheados de um palavreado bem-treinado. Verfdax Cush foi muito inteligente ao tratar assim, como crianças absurdamente tolas, as suas discípulas tão tolas... Sim, ela sabe que metade delas vai sucumbir na primeira batalha que daqui a algumas horas vai iniciar-se; sabe que suas discípulas Ydrasgkuthas vão todas desaparecer em questão de cinco anos de guerra; sabe que a maioria de suas filhas vai morrer até o final desta guerra; e sabe que talvez ela mesma não sobreviva. Teria eu piedade dela? Não, a piedade nasce naqueles que pensam que todos não podem sofrer reveses, sempre tendo de colher vitórias. Vi que Allynne, Deburan, Aryyann, Devyutrea e Rêndya, as consideradas mundialmente mais poderosas filhas da Verfdax Cush, vão morrer na primeira batalha. Não gosto delas, mas as mortes das cinco poderia abalar a moral e a vontade guerreiras daquela que gerou-as, o que seria péssimo para a defesa deste Continente. Admito que em combatividade Verfdax Cush supera Unghiar e Belah, até mesmo Beria e todos os outros Generais Supremos Americanos. Posso, então, para evitar o que eu Vi ocorrer com a Verfdax Cush, proteger as vidas de muitas dessas imbecis que vão morrer? Posso modificar Fatos Do Destino Eterno Já Estabelecidos Como Inescapáveis? Em muitos desses rostos alegres que vejo aqui repousa A Foice De Tanatos, O Símbolo Do Caminho Real Até O Túmulo. Se eu tomar para mim a responsabilidade de fazer com que muitas vidas sejam poupadas, tomando o comando das melhores frentes de ataque aos inimigos, talvez apenas poucas das que Vi morrerem se livrem deste acontecimento. A alegria dessas idiotas, tão próximas que estão da Senhora Morte, me dá a idéia de apenas preservar a minha própria Existência, todas elas são ridículas, inúteis, imprestáveis como Oryshasdars. Como recebi em meu Nascimento Eterno Poderes que me possibilitam reverter belicamente Dados De Fatos Determinados Por Causas Inderrubáveis Exatas Em Seu Fortalecedor Infinito Motor, para não prejudicar a defesa militar continental devo fazer esse esforço desagradável para proteger essas fracassadas. Miseravelmente tenho que desperdiçar dessa maneira a minha Herança Espiritual, protegendo idiotas que para mim não importam. Nos campos de batalha cada guerreiro deve proteger-se; eu não penso em deixar de lado a minha total ofensividade, mas se eu pudesse ser mais livre nas batalhas percorreria todo o mundo exterminando todos os desgraçados que o Grupo Das Quatro arregimentou para defender-lhe os interesses. Estou presa aos meus compromissos de discípula com Cush Terah; porém, meus verdadeiros compromissos estão além dela, deste Continente, deste planeta, deste Joadhret, desta guerra, deste Plano Existencial. Estou limitada a lutar pelos outros, quando o que eu mais quero é lutar por mim mesma, pelos meus próprios objetivos. O papel de defensora da Harmonia Imperial Keauriotheniana não se adapta aos meus sentidos objetivistas de crescimento material. Esse papel amaldiçoado, infelizmente, tenho que continuar fingindo cumprir.”

A euforia diminui e Cush, recuperando sua postura como Verfdax, continua a discursar:

Pela companhia dos Senhores Supremos Da Guerra, todas nós fazemos parte da Família Guerreira De Pés Imóveis Dos Grandes Solos Sangrentos De Todas As Sanguinárias Batalhas! Pelo Sangue Todosewha Baalciferjinn que vamos derramar ofereceremos Odes Transcendentais aos Senhores pela chance de assim venerá-Los! Pelo Sangue Traidor De Thades que vamos derramar faremos o mesmo oferecimento! E...

Pelo sangue que vai cair de muitas aqui presentes as que vão sobreviver poderiam fazer o mesmo oferecimento sagrado, Verfdax Cush.

De um modo incômodo e rude, Jezer ergue sua grave e dura voz em Towara, recebendo de Cush um olhar ultraviolento de desaprovação. Como sempre fizera, altivamente encara sua Verfdax, mantendo erguida impassivelmente a sua cabeça, continuando sentada e de braços cruzados. Cush não tem agora como enfrentar o silêncio em Towara ocasionado pela Verdade pronunciada pela explosivamente positiva Jezer, a sorrir de maneira debochada, irritando-a mais.

Jezer, eu não lhe dei o direito de interromper a minha fala e...

Querida Verfdax Cush, eu sempre a interrompo quando ouço-a falar em “grandiosidades advindas do amor ao guerrear” que mais parecem mascarar a Realidade Do Que Virá do que revelar o oculto neste. Estou errada por ser assim?

Vou repetir que eu não lhe dei o direito de hoje interromper-me e nunca lhe dei tal direito! Eu sou a Verfdax aqui e...

Mente bem como uma Verfdax.

Jezer, não ofenda a minha mãe com a sua inoportuna língua maldita!― Alynne Terah, sentada ao lado dela, ergue-se e grita a 12 cm do rosto dela.

Eu arrancarei a sua com a minha mão direita se continuar lançando em meu rosto essa porra nojenta desse seu mau-hálito escroto de chupadora oficial dos paus de Oryshasdars Rthudans’Anreteniud Thades!

Ninguém vai se mexer para brigar aqui e se eu notar um movimento das duas, mato-as!— Cush grita e restabelece a sua autoridade.— Alynne, sente o seu cu na arquibancada e cale a sua boca! Alynne, sente-se!

Essa desgraçada egípcia, mãe, merece que eu a mate pela ofensa que lhe fez!

E eu lhe mataria se você matasse essa desgraçada egípcia que foi-me entregue para ser uma das minhas filhas! Eu estou representando a mãe dela e apenas eu posso matá-la quando eu quiser! Sente o seu cu no banco agora, Alynne, e cale a sua boca! Eu estou lhe ordenando que sente o seu cu no banco e cale essa porra da sua boca!

Senta o cu todo rasgado na arquibancada e obedece a nossa mamãezinha, “maninha querida”…

Jezer, eu sempre quis matá-la desde que quase desmembrou Desirah e Rashya Logharah naquela briga em Miami!

Alynne, você quer que eu faça o seu…

Mãe, eu e Alynne já estamos cansadas do protecionismo que dá a Jezer sempre!— Aryyan, irmã de Alynne, caminhando até Cush no meio da arena.— Ela quase matou, além de Desirah e Rashya, várias outras discípulas de outros Templos da Lophst Anreteniud pela América, sempre causando brigas! E a senhora a defende todas as vezes, apenas dando-lhe como castigo o aumento do número de treinamentos! A senhora aprecia a malignidade dela?

Nossa, eu sou maligna?

Cale-se, Jezer, cale-se!— Cush estremece todo o subterrâneo templário; Jezer atende; Alynne acalma-se e senta-se.— Jezer Can não é a minha queridinha, nenhuma de vocês é a minha queridinha! Eu sou Verfdax aqui no interior deste Templo e não dos lugares que a senhora Jezer Can freqüenta! Se ela quase matou muitos em muitas brigas, das quais foram inúmeras e escandalosas, eu não tenho culpa, o problema é dela e daqueles que quase morreram! Eu aqui treino Oryshasdars e não sou obrigada a domesticá-las como animais dóceis que me obedeçam fielmente!

Isso então abre precedentes para que todas nós a desrespeitemos?

Não abre porra nenhuma, Aryyan, eu sou a Herwaj desta merda aqui! Eu não esqueço do que Jezer diz-me ou fez aqui no interior do Templo e vocês todas aqui sabem que não repreendo-as com espancamentos! Não me esqueci, Jezer, de você, que me interrompeu! Qual foi hoje a sua intenção? Quis demonstrar que é a melhor de todas as minhas discípulas e que pode fazer tudo que quiser?

Quis demonstrar que a senhora, Verfdax Cush, está dando esperanças inexistentes à maioria dessas idiotas aqui.

Idiota única aqui é você, sua cretina egípcia!— Lare Kannonhlan protesta, sentada 234 m à esquerda de Jezer.

Vejam, Alynne e Aryyan, Lare é uma daquelas que eu quase matei...

Lare, sente-se!— Cush ordena.

Não, Verfdax Cush! Jezer fez muito mal a todas nós, sem nenhuma exceção, quando a desrespeitou da maneira que hoje a senhora sentiu! Ela não pode agir assim!

Eu posso agir assim porque eu Sei que você, Alynne, Aryyan, Deburan, Devyutrea, Rêndya, Desirah e Rashya vão morrer na primeira batalha travada pelas Filhas Da Espada Terah.

Você é uma profetisa agora, Jezer?— Cush tenta controlar-se para não agredi-la.— Dentre as Doutrinações que lhe dei não encontravam-se Técnicas Terah Para A Visualização Do Futuro; ou você aprendeu-as ocultamente, sozinha, vasculhando mais uma vez sem que eu percebesse os recintos mais secretos do meu Templo?

Eu fito as caras dessas aí e Vejo A Foice De Tanatos, simplesmente. Elas vão morrer, mesmo sendo as suas cinco filhas Ydrasgkuthas consideradas as “Toda-Poderosas”.

Pelas suas Visões, elas já são cadáveres? Pois bem, vamos ver sem o recurso das Visões se A Foice De Tanatos está nas faces delas! Alynne, Aryyan, Deburan, Devyutrea, Rêndya, Desirah, Rashya e Lare, lutem mortalmente agora com Jezer e provem se puderem que as Visões dela estão erradas! Jezer, se elas a ferirem mortalmente, eu paro a luta e a decapito! Lutem agora!

Mãe, isso é insanidade!— Karyan, outra filha de Cush, Waleykrishteean, adentrando na arena e aproximando-se.— Não é o ato de uma Verfdax Pdehuuyf fazer com que as suas discípulas lutem mortalmente entre si! A senhora age agora como uma falsa...

Karyan não completa a sua frase. Enfurecida por mais essa repreensão, Cush avança até ela, que estava 12 m à sua direita e desfere um direto de esquerda em seu nariz, lançando-a de volta à arquibancada, a esta quebrando. 265 discípulas que estavam na arquibancada caem umas em cima das outras e rapidamente socorrem a desmaiada Karyan, que teve o nariz esmagado, perdendo algumas partes deste e fragmentando totalmente os ossos septo nasal, vômer, corneto e espinha nasal. Saindo da arena e caminhando até outra arquibancada, Cush senta-se entre discípulas assustadas e diz:

Se alguém não tem mais nada para dizer contra as minhas ordens, vocês agora podem lutar.

As filhas dela adentram primeiro na arena; Ydrasgkuthas da Lophst Anreteniud, possuem as respectivas elevadas estaturas: Alynne, 2,33 m; Aryyan, 2,31 m; Deburan, 2,29 m; Devyutrea, 2,23m; e Rêndya, 2,21m. Negras e ultramusculosas, seus pesos somados constituem 20 t; este é o peso de Lare, que adentra na arena após elas, uma gigante ruiva nascida na Cidade Eterna De São Paulo, Brasil, de 5,98 m de estatura. Seguem-na as gêmeas univitelinas louras Desirah e Rashya, ambas possuindo a mesma estatura de Jezer, 1,56m. A nativa da Cidade Eterna De Esneh, Egito, observa-as sentada, por cinco minutos, armarem-se com suas respectivas Espadas Místicas de finíssimas lâminas que cortariam, unidas em um preciso golpe, milhões de planetas. Jezer espreguiça-se, levanta-se com calma e, lentíssima, caminha até 30 m perto delas, que ficam à sua frente lado a lado. Pondo as mãos na cintura, ela aguarda-as atacá-la por dez minutos; após este período de tempo diz-lhes:

Estão paradas esperando que eu empunhe Tsyrl? Não, não vou empunhá-los; matá-las vai ser fácil como cuspir e assobiar ao mesmo tempo.

Lare é a primeira a avançar, empunhando na mão esquerda a Thenaln Esyphear Frashuyt, cuja lâmina mede 12,77 m e o cabo, 2,45 m; Jezer observa-lhe os movimentos da cintura e não se preocupa com a Arma; ao ver esta a 1,20 m de seu crânio, rola no chão em direção a Lare; desarma-a com um chute duplo no pulso esquerdo, com as costas grudadas no solo; com o pé esquerdo transpassa-lhe o abdômen; com o direito, a garganta; e girando com um salto mortal para trás arranca-lhe a cabeça com outro chute duplo, desferido agora no queixo. Ao cair 3,70 m distante do cadáver de Lare, salta para a frente e cai a 20 m de suas outras inimigas; na Velocidade Automanifesta Da Darzh Anreteniud as filhas de Cush atacam-na; esquivando-se, movimentando-se com facilidade pela arena, Jezer observa os movimentos dos pulsos delas; indo em direção a elas sem esquivar-se, com o próprio peso adquirido em movimento pelo seu corpo, elevando-o a 66. 220.200 t, quebra as lâminas das Thenalns Anreteniud Terah quando estas chocam-se com aquele; todas possuindo 25,50 m, e cabos de 4,22 m, ficam suspensas no ar enquanto Jezer, mais rápida do que suas inimigas, a estas mata; mata Allyne com uma cotovelada de direita na garganta; mata Aryyan com uma cabeçada no crânio; mata Deburan com um chute direto de esquerda na vagina; mata Devyutrea com um chute direto de esquerda no crânio; e mata Rêndya com um chute direto de esquerda entre os seios. Com a mesma habilidosa perna esquerda chuta as lâminas das dez espadas, duas empunhadas por cada uma das acima assassinadas, na direção de Desirah e Rashya; as duas perdem os braços, as pernas, são divididas ao meio a partir dos abdomens e decapitadas, tudo isto ocorrendo ao mesmo tempo Fora Da Linha Do Tempo.

As outras discípulas torciam pelas Companheiras que nem puderam ver como foram assassinadas. Jezer ressurge aos olhos delas agachada entre os oito cadáveres, levanta-se e olha em seu redor, parando seu olhar no de Cush, que nada tem a dizer para a assassina de cinco de suas filhas. As demais 260 filhas de Cush presentes silenciosamente revoltam-se com a mãe e odeiam agora Jezer mais do que antes odiavam. Com postura agressiva, pele e roupa manchadas do sangue que derramou, Jezer caminha em direção ao túnel que leva até a superfície templária e nele adentra com a expressão do rosto mais enrijecida do que nunca. Cush, impassivelmente, permanece sentada enquanto suas outras filhas e algumas discípulas recuperadas do terror que presenciaram ao poderem ver o que ocorreu recolhem os cadáveres. Com estranha e profunda alegria, Cush vê que nenhuma delas chora, nem aquelas que permanecem paralisadas nas arquibancadas. Olha para Karyan, a qual agrediu, ferida, com o rosto endurecido, auxiliando na recolha dos cadáveres; com um imperceptível sorriso aprova os recentes acontecimentos. “Agora, nenhuma delas vai ser assassinada durante todo o Oitavo Levante! Obrigada, Jezer!”




0 Loucas Pedras Lançadas: