Aquela Prostituta


Prostitutes at the entrance - Cellar-FCP


Me lembro dela, que me ensinou muito sobre as vidas e os sentidos que tentamos dar a cada uma delas. Eu era um babaca sonhador muito jovem, um menino de calças curtas ainda cego a caminhar alegremente pelo meio-fio das ruas apodrecidas. Naquela época, no entanto, eu ainda não sentia a podridão terrena e ainda sentia que conquistaria toda a Terra com a minha prepotência e arrogância.

O prostíbulo imundo onde a encontrei portava as cargas emocionais espúrias de homens e mulheres perdidos no espaço finito da mediocridade humana. Mas, eu não me via como um medíocre e acreditava que enviar a minha pica para dentro da buceta tão castigada daquela prostituta iria me fazer sentir a criatura mais realizada deste Universo. E, se gozasse, pensava eu, um perdido que se achava encontrado em mim mesmo, seria o mais feliz de toda a Criação.

Ela se aproximou com um forçado sorriso, um olhar carregado de névoas e um espírito carregado de muitas outras névoas. A mulher parecia carregar em si todos os homens que com ela treparam, uma legião de entidades cujo odor afetava meu olfato acostumado a perfumes caros que na época eu usava. Ignorei o que ela carregava, apenas pensava em deixar de ser um virgem mané. Queria mesmo é foder com ela. Nem me importava que seu rosto abatido e seu corpo destruído transmitiam uma sinfonia de mazelas e miasmas.

Me deitei com aquela prostituta acima da cama mais suja e depravada na qual já deitei um dia. Nunca esquecerei daquela pele fria... Nunca esquecerei do cadáver abaixo de mim... Nunca esquecerei daquela sensação de nada tocando naquele corpo já tão tocado por outros homens e pelo duro passar dos anos... Nunca esquecerei de como ela me chupou mecanicamente, me ferindo... Nunca esquecerei que nenhum prazer senti tocando aquele mármore em meus braços... Nunca esquecerei daquela feia buceta estragada, corrupta, corrompida... Nunca esquecerei de não ter me excitado a ponto de duramente penetrá-la...

Meia-hora de um momento ridículo. Tomei um banho com ela ao fim. Fui embora com uma amargura densa a me ferir. Voltei outro dia, outra prostituta. A mesma frieza, a mesma imobilidade, a mesma falta de erecção na inutilidade entre as minhas pernas... Aquela prostituta, a primeira, me ensinou mesmo muita coisa. E aprendi pouco com a segunda. Com o passar dos anos, outras me ensinaram mais coisas, sendo ou não prostitutas. No entanto, aquela prostituta anunciou para mim muitas coisas sobre a Humanidade. Muitas coisas sobre o futuro de tudo e de todos. Muitas coisas sobre o meu passado, meu presente e meu futuro.

Prostitutas são as profetizas da contemporaneidade. São senhoras do deserto que traduzem tudo da Humanidade. Esta é uma Prostituta. A Cafetina é a Realidade. O Cafetão é o Tempo. E os Clientes somos nós, homens e mulheres no Bordel Existencial, onde somos de segundo em segundo currados com força. E o gozo mais poluído e repugnante se espalha pela nossa alma.

Inominável Ser
APRENDIZ
DE TODA
PROSTITUTA





Vamos Assim Guerrear



Entremos em guerra,
Priorizando a meta
Da tua xota
Na minha boca.

Entremos em guerra,
Barbarizando as pregas
Do meu cu
E do teu cu.

Guerra sem tréguas,
A gente metendo como
Metralhadoras sanguinárias
Extremamente impiedosas.

Guerra sem regras,
A gente enrabando
Um ao outro como
Canhões sem pena.

Inominável Ser
EM GUERRA
COM ELA




Zahra Elise



E na segunda postagem de hoje, lhes apresento Zahra Elise. Modelo e socialite natural de Virginia Beach, no Estado da Virginia nos Estados Unidos, nascida aos 30 de Dezembro de 1993, tem 24 anos de idade e possui um dos corpos mais espetaculares da Internet INTEIRA e é dona de um belíssimo rosto. Com 730 mil seguidores no Instagram e 58 mil seguidores no Facebook, hipnotiza pela formidável beleza. O fato de não ter milhões de seguidores não a torna menos apreciável, esteticamente falando, do que Victoria Lomba ou Eva Andressa, muito pelo contrário… E poderão comprovar isto através da galeria que construí para esta postagem. Preparados, Seres Do Mundo que apreciam a Beleza Feminina? Então, como sempre aconselho…

APRECIEM SEM MODERAÇÃO!!!